Google+ Followers

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Museu de Pinda realiza exposição sobre Rui Barbosa. --- Pinda Museum holds exhibition on Rui Barbosa.

O Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro I e Dona Leopoldina, em Pindamonhangaba, realiza uma exposição sobre Rui Barbosa, patrono do Dia Nacional da Cultura.


A exposição faz parte das comemorações pelo Dia Nacional da Cultura Brasileira, celebrado em 5 de novembro. As visitas à exposição, que permanecerá até o final deste ano, podem ser realizadas de terça a sexta-feira, das 9 às 18 horas.

Além da exposição, também haverá diversas atividades comemorativas à data, entre elas uma visita guiada especial ao Museu, dia 5, a partir das 14hs. Na ocasião, estará sendo realizada uma ocupação cultural no prédio, com diversas manifestações artísticas. 

As atividades são gratuitas e estão sendo realizadas pelo Museu, em parceria com o Departamento de Patrimônio Histórico e Conselho Municipal de Cultura.


Rui Barbosa de Oliveira bacharelou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo em 1870. No início da carreira, na Bahia, engajou-se numa campanha em defesa das eleições diretas e da abolição da escravatura. Depois, seria político relevante na República Velha, ganhando projeção internacional durante a Conferência de Paz de Haia (1907), em que defendeu a teoria brasileira de igualdade entre as nações.

Eleito deputado na Assembleia Provincial da Bahia em 1878, passou no ano seguinte a deputado geral (ou seja, representante da província no Legislativo nacional, no Rio de Janeiro). Atuou na elaboração da reforma eleitoral, na reforma do ensino e na emancipação dos escravos.

Com a República, tornou-se vice-chefe do governo provisório e assumiu a pasta das Finanças. Também escreveu o projeto da Carta Constitucional da República. Sendo dissolvido o Congresso por Deodoro da Fonseca, Rui abandonou o cargo que ocupava e passou à oposição.

Em 1893, envolveu-se na Revolução da Armada e acabou exilado. Após ter passado pela Argentina, Lisboa, Paris e Londres, voltou para o Brasil e foi eleito senador pela Bahia em 1895.

Rodrigues Alves, presidente da república, designou-o representante do Brasil na 2ª Conferência de Paz de Haia. No Brasil, dada sua brilhante inteligência e eloquência, ganhou por isso o título "Águia de Haia".

A verdade, porém, é que a impressão causada por lá não foi tão positiva assim (o representante alemão, por exemplo, não foi o único a considerar Rui "o mais aborrecido dos participantes"). No final da vida, ainda seria eleito juiz do Tribunal Internacional de Haia.

Em 1916, indicado pelo então presidente Venceslau Brás, representou o Brasil no centenário da independência argentina, discursando na Faculdade de Direito de Buenos Aires sobre o conceito jurídico de neutralidade. Em plena Primeira Guerra Mundial, o discurso causaria a ruptura das relações do Brasil com a Alemanha.

Três anos depois, Rui recusaria o convite para chefiar a delegação brasileira na Conferência de Versalhes (1919), que estipulou os termos da paz entre vitoriosos e derrotados na Primeira Guerra.

Com seu enorme prestígio, Rui Barbosa candidatou-se duas vezes à Presidência da República (nas eleições de 1910, contra Hermes da Fonseca, e nas de 1919, contra Epitácio Pessoa em 1919), mas foi derrotado em ambas.

Como jornalista, escreveu para diversos órgãos, em especial "A Imprensa", o "Jornal do Brasil" e o "Diário de Notícias", tendo presidido esse último. Sócio-fundador da Academia Brasileira de Letras, sucedeu a Machado de Assis na presidência da casa.


Rui Barbosa morreu aos 73 anos. Sua extensa bibliografia, em mais de cem volumes, reúne artigos, discursos, conferências e anotações políticas escritas durante toda uma vida. Sua vasta biblioteca, com mais de 50 mil títulos, pertence à Fundação Casa de Rui Barbosa, em sua antiga residência no Rio.











Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

O tempo voa, obras de arte são para a eternidade, sem rugas!









--in via tradutor do google

Pinda Museum holds exhibition on Rui Barbosa.


Pinda Museum holds exhibition on Rui Barbosa.O Historical Museum and Educational Dom Pedro I and Dona Leopoldina, in Pindamonhangaba, held an exhibition of Rui Barbosa, patron of the National Culture Day.

The exhibition is part of the celebrations for the National Day of Brazilian Culture, concluded on 5 November. Visits to the exhibition, which will remain until the end of this year can be carried out from Tuesday to Friday, from 9 to 18 hours.

Besides the exhibition, there will also be various commemorative activities to date, including a special guided tour of the museum, day 5, from 14hrs. On occasion, a cultural occupation is being held in the building, with various artistic manifestations.

The activities are free and are held by the Museum, in partnership with the Department of Cultural Heritage and Municipal Council of Culture.



Rui Barbosa de Oliveira graduated from the Law School of São Paulo in 1870. Early in his career, in Bahia, engaged in a campaign in defense of direct elections and the abolition of slavery. Then, it would be political relevance in the Old Republic, gaining international recognition for the Hague Peace Conference (1907), in which he defended the Brazilian theory of equality among nations.

Elected in Bahia of the Provincial Assembly in 1878, he passed the following year the general deputy (ie representative of the province in the national legislature, in Rio de Janeiro). He served in the preparation of electoral reform, the reform of education and the emancipation of slaves.

With the Republic, he became deputy head of the provisional government and took over the portfolio of Finance. He also wrote the Constitution of the Republic Charter project. Being dissolved Congress by Deodoro da Fonseca, Rui left the post he held and passed to the opposition.

In 1893, he became involved in the Armed Revolution and eventually exile. After passing by Argentina, Lisbon, Paris and London, he returned to Brazil and was elected Senator for Bahia in 1895.

Rodrigues Alves, President of the Republic, appointed him representative of Brazil in the 2nd Peace Conference in The Hague. In Brazil, given its brilliance and eloquence won it the title "The Hague Eagle".

The truth, however, is that the impression there was not as positive as well (the German representative, for example, was not the only one to consider Rui "the most boring of the participants"). At the end of life, it would still be elected judge of the International Court in The Hague.

In 1916, appointed by President Wenceslas Bras, he represented Brazil at the centennial of Argentine independence, speaking at the Faculty of Buenos Aires Law on the legal concept of neutrality. In full World War, the speech would cause the rupture of relations between Brazil and Germany.

Three years later, Rui would refuse the invitation to head the Brazilian delegation at the Versailles Conference (1919), which set the terms of peace between victors and defeated in the First World War.

With its enormous prestige, Rui Barbosa ran twice for president (in 1910 elections against Hermes da Fonseca, and in 1919, against Pessoa in 1919), but was defeated in both.

As a journalist, he wrote to various bodies, particularly "The Press", the "Jornal do Brazil" and the "Daily News", having chaired the latter. A founding member of the Brazilian Academy of Letters, succeeded Machado as president of the home.

Rui Barbosa died at age 73. His extensive bibliography, over a hundred volumes, contains articles, speeches, conferences and written policies notes during a lifetime. His extensive library with over 50,000 titles, belongs to the Foundation Casa de Rui Barbosa, in his former residence in Rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário