Google+ Followers

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Museum of the Environment, in São Paulo, SP, Brazil. --- Museu do Meio Ambiente, em São Paulo, SP, Brasil.

Located in the area of ​​the old farm of the businessman Oscar Americano of Caldas Filho, for the creation of the park were kept the headquarters building in colonial architecture, a set of lakes and all landscaped area.




It has vegetation composed of eucalyptus, remnants of the Atlantic Forest with ciliary forest, anthropic fields, swamps, lawns, coffee, orchard, Okinawa cherry grove and a nursery producing shrub species. Among the most important are Angico, Araribá-rosa, Cedar, Gameleira-Brava, Grevílea-Giant, Horseshoe Inge, Ipês (Handroanthus chrysotrichus, H. impetiginosus and Tabebuia roseoalba), Jacarandá-paulista, jequitibá-rosa, Alligator, quaresmeira and seafórtia. Twenty-two species were recorded, of which nine are endangered, such as Copaiba, Brazil-wood and Samambaiaçus.

There are 135 species of fauna, of which 10 are reptiles, such as the forest lizard known as the wind-potato; Plus seven mammals and 118 birds. Herons, loons, kingfishers, ireras and ananasis make use of the lake. The different landscapes offer an opportunity to sighting the imposing hawk-catcher, endangered predator and endemic species of the Atlantic Forest, such as the borralhara-whistler and the whistling-pula. The restless true-parrots become cautious in the vicinity of their nests. There are also forest species such as tié-de-tupete, smooth-tailed and bumpy, difficult to observe, but betrayed by their voices, as well as nocturnal owl-eared birds, curiangos and bacuraus.

In the song corner, we highlight trinca-hierro-real, graúna and canary of the earth. Sharp eyes will observe several species of hummingbirds and colorful birds: fire-nosed whistling, black-headed wildebeest, blue-eyed, end-end, black-and-white-winged swallowtail, and the . Among the mammals, there are records of deer-catingueiro, sloth-of-three-fingers, armadillos, hedgehog and Caxinguelês.



For 35 years held in the park, the traditional Cherry Festival celebrates the flowering of the symbolic tree of Japan and has become the hallmark of the Japanese community living in the region. Every year the practice of "hanami" takes place, a ritual that consists of sitting under the cherry trees and contemplating them for a long time.



Visit:
Monocle, lakes, parking, natural amphitheater, exercise equipment, football fields, bike lane, Cooper lane, playgrounds, kiosks, barbecue grills, picnic lawn, restrooms. Forest of cherry trees and monuments to Japanese immigration. Also operating the DGDs East 1 and 3, Arthur Etzel Nursery, Planetarium, Sectorial Base, Forest of Reading (SMC) and Base of the Metropolitan Civil Guard.


---000
Carmo Park - Okinawa cherry grove "Okinawa cherry trees"
Located in the area of ​​the old farm of the businessman Oscar Americano of Caldas Filho, for the creation of the park were kept the headquarters building in colonial architecture, a set of lakes and all landscaped area. It has vegetation composed of eucalyptus, remnants of the Atlantic Forest with ciliary forest, anthropic fields, swamps, lawns, coffee, orchard, Okinawa cherry grove and a nursery producing shrub species.

Among the most important are Angico, Araribá-rosa, Cedar, Gameleira-Brava, Grevílea-Giant, Horseshoe Inge, Ipês (Handroanthus chrysotrichus, H. impetiginosus and Tabebuia roseoalba), Jacarandá-paulista, jequitibá-rosa, Alligator, quaresmeira and seafórtia. Twenty-two species were recorded, of which nine are endangered, such as Copaiba, Brazil-wood and Samambaiaçus. There are 135 species of fauna, of which 10 are reptiles, such as the forest lizard known as the wind-potato; Plus seven mammals and 118 birds. Herons, loons, kingfishers, ireras and ananasis make use of the lake. The different landscapes offer an opportunity to sighting the imposing hawk-catcher, endangered predator and endemic species of the Atlantic Forest, such as the borralhara-whistler and the whistling-pula.

The restless true-parrots become cautious in the vicinity of their nests. There are also forest species such as tié-de-tupete, smooth-tailed and bumpy, difficult to observe, but betrayed by their voices, as well as nocturnal owl-eared birds, curiangos and bacuraus. In the song corner, we highlight trinca-hierro-real, graúna and canary of the earth.

Sharp eyes will observe several species of hummingbirds and colorful birds: fire-nosed whistling, black-headed wildebeest, blue-eyed, end-end, black-and-white-winged swallowtail, and the . Among the mammals, there are records of deer-catingueiro, sloth-of-three-fingers, armadillos, hedgehog and Caxinguelês.

For 35 years held in the park, the traditional Cherry Festival celebrates the flowering of the symbolic tree of Japan and has become the hallmark of the Japanese community living in the region. Every year the practice of "hanami" takes place, a ritual that consists of sitting under the cherry trees and contemplating them for a long time.

Cherry Festival

  
It is a festival in which the main attraction is the more than 4 thousand flowering trees of Cherry Grove, planted by the Japanese community in the 70's. Besides the beauty of the flowers, the public can also enjoy Japanese dance and folk music presentations, besides Of tents with typical oriental foods.

    The flowering of cherry trees only occurs in August and lasts only a few days. Therefore, every year the Japanese community practices a ritual, known as hanami, to sit under the cherry trees to contemplate them. The tradition is to invite friends and family for a picnic in the middle of the trees.


  The cherry tree is the symbolic tree of Japan and has become the mark of the descendants of the Nippon community living in the region of Itaquera, east. The party, which takes place since 1978, is organized by the Sakura Federation and Ipê do Brasil in partnership with the São Paulo City Hall.



---000


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.


Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 


but what modifies the way of looking and hearing.





Museu do Meio Ambiente, em São Paulo, SP, Brasil.

Localizado na área da antiga fazenda do empresário Oscar Americano de Caldas Filho, para a criação do parque foram mantidos o prédio sede em arquitetura colonial, um conjunto de lagos e toda área ajardinada.

Possui vegetação composta por eucaliptais, remanescentes da Mata Atlântica com mata ciliar, campos antrópicos, brejos, além de gramados, cafezal, pomar, bosque de cerejeiras-de-okinawa e um viveiro de produção de espécies arbustivas. Destacam-se angico, araribá-rosa, cedro, gameleira-brava, grevílea-gigante, ingá-ferradura, ipês (Handroanthus chrysotrichus, H. impetiginosus e Tabebuia roseoalba), jacarandá-paulista, jequitibá-rosa, pau-ferro, pau-jacaré, quaresmeira e seafórtia. Foram registradas 242 espécies, das quais 9 estão ameaçadas como a copaíba, o pau-brasil e as samambaiaçus.

São 135 espécies de fauna, sendo 10 de répteis, a exemplo do lagarto florestal conhecido como papa-vento; além de sete de mamíferos e 118 de aves. Garças, mergulhões, martins-pescadores, irerês e ananaís fazem uso do lago. As distintas paisagens oferecem oportunidade de avistamento do imponente gavião-pega-macaco, rapinante ameaçado de extinção e de espécies endêmicas de Mata Atlântica, como a borralhara-assobiadora e pula-pula-assobiador. Os inquietos papagaios-verdadeiro tornam-se cautelosos nas proximidades de seus ninhos. Ocorrem também espécies florestais como tié-de-topete, choquinha-lisa e choca-da-mata, de difícil observação, porém traídas por suas vozes, bem como as aves noturnas coruja-orelhuda, curiangos e bacuraus.

No quesito canto, destacamos trinca-ferro-verdadeiro, graúna e canário-da-terra. Olhos atentos observarão diversas espécies de beija-flores e passarinhos vistosos: sanhaçu-de-fogo, saíra-viúva, saí-azul, fim-fim, saí-andorinha e saíra-de-chapéu-preto e o singular arapaçu-do-cerrado. Dentre os mamíferos, há registros de veado-catingueiro, preguiça-de-três-dedos, tatus, ouriço-cacheiro e caxinguelês. 

Há 35 anos realizada no parque, a tradicional Festa das Cerejeiras comemora o florir da árvore símbolo do Japão e tornou-se a marca da comunidade nipônica que vive na região. Todos os anos ocorre a prática do “hanami”, ritual que consiste em sentar-se sob as cerejeiras e contemplá-las por longo período.


---000

Parque do Carmo - bosque de  cerejeiras-de-okinawa "cerejeiras-de-okinawa"

Localizado na área da antiga fazenda do empresário Oscar Americano de Caldas Filho, para a criação do parque foram mantidos o prédio sede em arquitetura colonial, um conjunto de lagos e toda área ajardinada. Possui vegetação composta por eucaliptais, remanescentes da Mata Atlântica com mata ciliar, campos antrópicos, brejos, além de gramados, cafezal, pomar, bosque de cerejeiras-de-okinawa e um viveiro de produção de espécies arbustivas. 

Destacam-se angico, araribá-rosa, cedro, gameleira-brava, grevílea-gigante, ingá-ferradura, ipês (Handroanthus chrysotrichus, H. impetiginosus e Tabebuia roseoalba), jacarandá-paulista, jequitibá-rosa, pau-ferro, pau-jacaré, quaresmeira e seafórtia. Foram registradas 242 espécies, das quais 9 estão ameaçadas como a copaíba, o pau-brasil e as samambaiaçus. São 135 espécies de fauna, sendo 10 de répteis, a exemplo do lagarto florestal conhecido como papa-vento; além de sete de mamíferos e 118 de aves. Garças, mergulhões, martins-pescadores, irerês e ananaís fazem uso do lago. As distintas paisagens oferecem oportunidade de avistamento do imponente gavião-pega-macaco, rapinante ameaçado de extinção e de espécies endêmicas de Mata Atlântica, como a borralhara-assobiadora e pula-pula-assobiador. 

Os inquietos papagaios-verdadeiro tornam-se cautelosos nas proximidades de seus ninhos. Ocorrem também espécies florestais como tié-de-topete, choquinha-lisa e choca-da-mata, de difícil observação, porém traídas por suas vozes, bem como as aves noturnas coruja-orelhuda, curiangos e bacuraus. No quesito canto, destacamos trinca-ferro-verdadeiro, graúna e canário-da-terra. 

Olhos atentos observarão diversas espécies de beija-flores e passarinhos vistosos: sanhaçu-de-fogo, saíra-viúva, saí-azul, fim-fim, saí-andorinha e saíra-de-chapéu-preto e o singular arapaçu-do-cerrado. Dentre os mamíferos, há registros de veado-catingueiro, preguiça-de-três-dedos, tatus, ouriço-cacheiro e caxinguelês. 

Há 35 anos realizada no parque, a tradicional Festa das Cerejeiras comemora o florir da árvore símbolo do Japão e tornou-se a marca da comunidade nipônica que vive na região. Todos os anos ocorre a prática do “hanami”, ritual que consiste em sentar-se sob as cerejeiras e contemplá-las por longo período.

Festa das Cerejeiras

É um festival em que a principal atração são as mais de 4 mil árvores floridas do Bosque das Cerejeiras, plantado pela comunidade japonesa na década de 70.  Além da beleza das flores,  o público poderá também aproveitar apresentações de dança e música folclórica japonesas, além de barracas com comidas típicas orientais.  

    A florada das cerejeiras só ocorre em agosto e dura apenas alguns dias. Por isso, todos os anos a comunidade japonesa pratica um ritual, conhecido como hanami,  de sentar sob as cerejeiras para contemplá-las. A tradição é convidar os amigos e a família para um picnic  em meio às árvores.


  A cerejeira é a árvore símbolo do Japão e tornou-se a marca dos descendentes da comunidade nipônica que vivem na região de Itaquera, zona leste. A festa, que acontece desde 1978, é organizada pela Federação Sakura e Ipê do Brasil em parceria com a Prefeitura de São Paulo. 




---000



Visite:
monjolo, lagos, estacionamento, anfiteatro natural, aparelhos de ginástica, campos de futebol, ciclovia, pista de Cooper, playgrounds, quiosques, churrasqueiras, gramado para piquenique, sanitários, redários. Bosque das cerejeiras e monumentos à imigração japonesa. Funcionam também os DGDs Leste 1 e 3, Viveiro Arthur Etzel, Planetário, Base Setorial, Bosque da Leitura (SMC) e Base da Guarda Civil Metropolitana.

Localização:
Av. Afonso de Sampaio e Sousa, 951 - Itaquera
Subprefeitura Itaquera 
Área: 1.500.000 m² 
Funcionamento: 5h30 às 20h
Fone: (11) 2748-0010 / 2746-5001 

Acesso: ÔNIBUS urbano: 
2522-10 – Vila Progresso – Shop. C.L. Aricanduva 
3027-10 – Vila Minerva – Shop. Aricanduva 
3062-10 – Conj. José Bonifácio – Term. Vila Carrão 






Nenhum comentário:

Postar um comentário