Google+ Followers

segunda-feira, 6 de março de 2017

The Gemeente Museum Den Haag in The Hague, The Netherlands, brings together some of the most iconic pieces created by Hubert de Givenchy for his longtime muse, Audrey Hepburn. --- O Gemeente Museum Den Haag, em Haia, na Holanda, reúne algumas das peças mais icónicas criadas por Hubert de Givenchy para a sua musa de longa data, Audrey Hepburn.

With a long career of almost half a century, Hubert de Givenchy retired in 1995, leaving that year the home he founded in 1952 - today under the creative direction of Riccardo Tisci - with a rich historical heritage. One of the most remarkable chapters was the relationship that during the second half of the 20th century had with Audrey Hepburn. The result of this creative partnership is now displayed at the Gemeente Museum Den Haag in Holland - a country where Audrey lived for part of her childhood. To see until March 26.


Entitled "Hubert de Givenchy: To Audrey with Love", the exhibition includes dozens of pieces of the French creator used by the Hollywood star - some of which had never before been shown to the public.



The relationship between Hepburn and Givenchy was, according to him, quoted by the Telegraph, "a kind of marriage". In addition to sharing a taste for simple and elegant style, have developed over the years great friendship. They worked together from the early 1950s until Hepburn's death. Givenchy designed clothes for Audrey to use in her daily life, but also in events like the 1954 Oscars, when she accepted the distinction for the role of Princess Ann in Vacations in Rome, in which she wore a floral white dress - and in films such as Sabrina and Luxury Doll (Breakfast at Tiffany's).



On display are still sketches of pieces, drawings, photographs and stills from movies. The creator participated actively in the process of curating the exhibition, personally selecting some of his favorite pieces. "It's the first time we've been able to put together so many models used by Audrey Hepburn. It is exciting to see all these dresses that one day we forget, "says Givenchy in the presentation video. "The exhibition is a trip through your wardrobe. It is a tribute to its eternal beauty," he concludes.

A part of the exhibition focuses exclusively on the partnership between muse and creator; And another in the role that Audrey has played since 1988 as UNICEF's goodwill ambassador. Affected directly by the Second War during her childhood, Audrey was particularly sensitive to the children's suffering. He traveled around the world, including countries such as Ethiopia, to raise public awareness about problems related to education and health.

In 1991, when Hubert Givenchy was only a few years away from retirement, it was Audrey Hepburn who paid tribute to his favorite creator, attending a retrospective event of his career - which according to Style.com was one of the main events of the season , With the presence of iconic figures such as Yves Saint Laurent and Christian Lacroix.

"All women want to feel beautiful and I feel pretty when I wear their clothes, they give me confidence," said Hepburn at the time. The timeless beauty of Givenchy's pieces - in tune with the aesthetic of the actress herself - gave birth to a lasting relationship. "She's always worked with integrity, even when fashion has become a little weird and out of time. And here's the proof: it could be used today. And I'm very proud of my friend, "he said with a smile.

The truth is that, more than two decades past, the pieces maintain their contemporaneity. The exhibition will be on display until 26 March and will then be adapted to other galleries in Switzerland and France. The next stop will be the Fondation Bolle in Morges, Switzerland, from 19 May to 17 September. A book on the exhibition was also created, illustrated in Dutch and in English, and another coloring book for children.






Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.




--br
O Gemeente Museum Den Haag, em Haia, na Holanda, reúne algumas das peças mais icónicas criadas por Hubert de Givenchy para a sua musa de longa data, Audrey Hepburn.

Com uma longa carreira de quase meio século, Hubert de Givenchy reformou-se em 1995, deixando nesse ano a casa que fundou em 1952 – hoje sob a direcção criativa de Riccardo Tisci – com uma rica herança histórica. Um dos capítulos mais marcantes foi a relação que ao longo da segunda metade do século XX teve com Audrey Hepburn. O resultado dessa parceria criativa está agora exposta no Gemeente Museum Den Haag, na Holanda – país onde Audrey viveu durante parte da infância. Para ver até 26 de Março.

Intitulada “Hubert de Givenchy: To Audrey with Love” (em português, "para Audrey com amor"), a exposição inclui dezenas de peças do criador francês usadas pela estrela de Hollywood – algumas das quais nunca antes tinham sido mostradas ao público.

A relação entre Hepburn e Givenchy era, segundo o próprio, citado pelo Telegraph, "uma espécie de casamento". Além de partilharem um gosto pelo estilo simples e elegante, desenvolveram ao longo dos anos grande amizade. Trabalharam juntos desde o início da década de 1950 até à morte de Hepburn. Givenchy desenhava roupas para Audrey usar no seu dia-a-dia, mas também em eventos como os Óscares de 1954, quando aceitou a distinção pelo papel de princesa Ann em Férias em Roma, em que usou um vestido branco floral – e em filmes como Sabrina e Boneca de Luxo (Breakfast at Tiffany’s) .

Em exibição estarão ainda esboços de peças, desenhos, fotografias e stills de filmes. O criador participou activamente no processo de curadoria da exposição, seleccionando pessoalmente algumas das suas peças preferidas. “É a primeira vez que conseguimos reunir tantos modelos usados por Audrey Hepburn. É entusiasmante ver todos estes vestidos dos quais um dia nos esquecemos”, conta Givenchy no vídeo de apresentação. "A exposição é uma viagem pelo seu guarda-roupa. É uma homenagem à sua beleza eterna”, conclui.

Uma parte da exposição foca-se exclusivamente na relação de parceria entre musa e criador; e outra no papel que Audrey desempenhou desde 1988, como embaixadora da boa vontade da Unicef. Afectada directamente pela Segunda Guerra durante a sua infância, Audrey mostrava-se particularmente sensivel ao sofrimento das crianças. Viajou pelo mundo, passando por países como a Etiópia, para dar a conhecer ao público problemas relacionados com educação e saúde.

Em 1991, quando Hubert Givenchy estava a poucos anos da reforma, foi Audrey Hepburn que prestou homenagem ao seu criador preferido, marcando presença num evento de retrospectiva da sua carreira –  evento esse que, segundo a Style.com, foi um dos principais da temporada, contando com a presença de figuras icónicas como Yves Saint Laurent e Christian Lacroix.

“Todas as mulheres querem sentir-se bonitas e eu sinto-me bonita quando uso as suas roupas, dão-me confiança” disse Hepburn na altura. A beleza intemporal das peças de Givenchy – em sintonia com a estética da própria actriz – deu azo a uma relação duradora. “Sempre trabalhou com integridade, mesmo quando a moda se tornou um pouco estranha e fora de tempo. E aqui está a prova disso: podia usar-se tudo hoje. E estou muito orgulhosa do meu amigo”, disse ainda com um sorriso.

A verdade é que, mais de duas décadas passadas, as peças mantêm a sua contemporaneidade. A exposição vai estar em exibição até 26 de Março e irá depois ser adaptada a outras galerias, na Suiça e em França. A próxima paragem será a Fondation Bolle in Morges, na Suiça, de 19 de Maio a 17 de Setembro. Foi ainda criado um livro sobre a exposição, ilustrado em holandês e em inglês, e outro livro para crianças para colorir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário