Google+ Followers

quinta-feira, 16 de março de 2017

The way the art represented medicine on display at the Ship Museum Gil Eannes. --- A forma como a arte representou a medicina em exposição no Navio Museu Gil Eannes.

‘Arte & Medicina’ reúne 61 reproduções de pinturas e iluminuras de museus de todo o mundo sobre medicina e médicos, doenças e hospitais, que têm como objetivo induzir o visitante a refletir na forma como a arte representou esta área e a sua evolução história. 



Há obras de pintores como Picasso, Rembrandt, Bruegel, Gerrit Dou, Metsu, Goya y Lucientes, Eakins, Jiménez Aranda, Luke Fildes, Toulouse-Lautrec, Frida Kahlo, Charles Pears, Godfrey Gordon, entre outros. Cada reprodução está acompanhada por um comentário resultante da análise do ponto de vista da história da arte e da história da medicina. 

Exibem-se ainda objetos de uso médico do acervo da Escola Superior de Saúde de Viana do Castelo.

A exposição’ Arte & Medicina’ é uma mostra do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, e esteve patente pela primeira vez em 2015, naquela cidade. Idealizada por uma equipa de curadoras da CulturAge constituída por Cristina Nogueira e Carolina Gomes, centrou o seu discurso expositivo em dois eixos: um relacionado com a arte e outro com o património local relacionado com a saúde e assistência. A exposição tem o apoio da Fundação Gil Eannes, e pode ser visitada todos os dias a partir das 9h30.

O histórico navio Gil Eanes
Desde que o Navio Gil Eannes foi colocado em exposição na antiga doca comercial de Viana do Castelo, a Fundação Gil Eannes, tem tido como objectivo transformá-lo num espaço museológico, contribuindo deste modo para o desenvolvimento cultural, turistico e científico especialmente em áreas relacionadas com o mar. Ao longo destes anos várias obras de reabilitação e restauro têm sido feitas, proporcionando aos visitantes o contato com os diversos espaços e adquirindo um pouco da história que têm para contar.

No século XX existiram duas embarcações de bandeira portuguesa com a designação de Gil Eannes e a função de navio-hospital, e ambas prestaram apoio às atividades de pesca do bacalhau nas águas da Terra Nova, no Grande Banco e na Gronelândia. A sua função justificava-se uma vez que as embarcações pesqueiras portuguesas estavam rotineiramente isoladas por vários meses naquelas águas.

O original navio Gil Eanes chamava-se Lahneck, pertencia à companhia alemã ‘Deutsche Dampfschiffarts GeselIschaft Hansa’, e foi aprendido na sequência da entrada de Portugal na Primeira Guerra Mundial (1916), tendo sido transformado em cruzador auxiliar da Marinha Portuguesa. Posteriormente, em 1927 zarpou pela primeira vez para a Terra Nova, após ter sido adaptado para navio hospital em estaleiros nos Países Baixos.

Em 1955 foi substituído por uma nova embarcação, homónima, construída de raiz nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. Ao longo de sua existência, serviu ainda como navio-capitania, navio-correio, navio-rebocador e quebra-gelos, assegurando o abastecimento de mantimentos, redes, material de pesca, combustível, água e isco aos barcos de pesca do bacalhau. Após 1963 passou a efetuar viagens de comércio como navio frigorífico e de passageiros entre as campanhas de pesca, tendo efetuando a sua última viagem à Terra Nova em 1973, ano em que também fez uma viagem diplomática ao Brasil.

Após esta última viagem perdeu as suas funções, ficando acostado no porto de Lisboa até ser vendido como sucata para abate em 1977, mas graças a um apelo feito por José Hermano Saraiva num dos seus programas, a poucos dias da sua destruição a comunidade vianense mobilizou-se para o resgatar, concebendo um projeto para ser exposto no porto de mar de Viana do Castelo, como tributo ao passado marítimo da cidade. E acabou por tornar-se numa das suas atrações turísticas.

Em 1998 foi reabilitado nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, com o apoio de várias instituições, empresas e cidadãos, e passando a ser gerido pela Fundação Gil Eannes, criada para esse fim. O navio foi dotado de um percurso museológico e interpretativo sobre a cultura marítima de Viana do Castelo e de um Centro de Documentação Marítima.

-
The museum




Since the Gil Eannes Ship was put on display in the old commercial dock of Viana do Castelo, the Gil Eannes Foundation has had as its objective to transform the Gil Eannes into a museum space, contributing in this way to the cultural, tourist and scientific development especially in areas Related to the sea. Thus, over the years, several rehabilitation and restoration works have been done, giving visitors the contact with the various spaces and acquiring a little of the history they have to tell.






Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.










--in via tradutor do google

A forma como a arte representou a medicina em exposição no Navio Museu Gil Eannes.

'Arte & Medicina' brings together 61 reproductions of paintings and illuminations from museums around the world on medicine and medical, diseases and hospitals, which aim to induce the visitor to reflect on how art represented this area and its evolution history.

There are works by painters like Picasso, Rembrandt, Bruegel, Gerrit Dou, Metsu, Goya and Lucientes, Eakins, Jiménez Aranda, Luke Fildes, Toulouse-Lautrec, Frida Kahlo, Charles Pears, Godfrey Gordon, among others. Each reproduction is accompanied by a commentary resulting from the analysis from the point of view of the history of art and the history of medicine.

There are also objects of medical use from the collection of the School of Health of Viana do Castelo.

The exhibition 'Art & Medicine' is a showcase of the Hospital and University Center of Coimbra, and was first seen in 2015 in that city. Idealized by a team of curators from CulturAge, made up of Cristina Nogueira and Carolina Gomes, she focused her exposition on two axes: one related to art and another related to local heritage related to health and care. The exhibition has the support of the Gil Eannes Foundation, and can be visited every day from 9.30.

The historic ship Gil Eanes

Since the ship Gil Eannes was put on display in the old commercial dock of Viana do Castelo, the Gil Eannes Foundation has had as a goal to transform it into a museum space, contributing in this way to the cultural, tourist and scientific development especially in related areas With the sea. Over the years, several rehabilitation and restoration works have been done, providing visitors with the contact with the various spaces and acquiring a little of the history they have to tell.

In the twentieth century there were two Portuguese flag vessels named Gil Eannes and the hospital ship, both of which supported fishing activities for cod in the waters of Newfoundland, Great Bank and Greenland. Their function was justified since Portuguese fishing vessels were routinely isolated for several months in those waters.

The original ship Gil Eanes was called Lahneck, belonged to the German company 'Deutsche Dampfschiffarts GeselIschaft Hansa', and was learned following the entry of Portugal into World War I (1916), having been transformed into an auxiliary cruiser of the Portuguese Navy. Subsequently, in 1927 sailed for the first time to Newfoundland, after being adapted to hospital ship in shipyards in the Netherlands.

In 1955 it was replaced by a new vessel, homonymous, built from scratch in the Naval Shipyards of Viana do Castelo. Throughout its existence, it also served as a flagship, mail-order vessel, tugboat and icebreaker, ensuring supplies of fishing supplies, nets, fishing gear, fuel, water and bait for cod fishing boats. After 1963, he began to make commercial trips as a refrigerator and passenger ship between fishing seasons, and made his last trip to Newfoundland in 1973, when he also made a diplomatic trip to Brazil.

After this last trip lost his functions, lying in the port of Lisbon until being sold as scrap for slaughter in 1977, but thanks to an appeal made by José Hermano Saraiva in one of his programs, a few days after its destruction the Vianese community mobilized To rescue him, designing a project to be exhibited in the sea port of Viana do Castelo, as a tribute to the maritime past of the city. And it turned out to be one of its tourist attractions.

In 1998 it was rehabilitated in the Viana do Castelo Shipyards, with the support of several institutions, companies and citizens, and started to be managed by the Gil Eannes Foundation, created for this purpose. The ship was endowed with a museological and interpretive course on the maritime culture of Viana do Castelo and a Maritime Documentation Center.

-
O Museu


Desde que o Navio Gil Eannes foi colocado em exposição na antiga doca comercial de Viana do Castelo, a Fundação Gil Eannes, tem tido como objectivo transformar o Gil Eannes num espaço museológico, contribuindo deste modo para o desenvolvimento cultural, turistico e científico especialmente em áreas relacionadas com o mar. Assim, ao longo destes anos várias obras de reabilitação e restauro têm sido feitas, proporcionando aos visitantes o contacto com os diversos espaços e adquirindo um pouco da história que têm para contar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário