Google+ Followers

sábado, 20 de maio de 2017

National Museum of the Sea, in San Francisco do Sul, Santa Catarina, Brazil, digitizes more than 800 historical naval documents. --- Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, Santa Catarina, Brasil, digitaliza mais de 800 documentos navais históricos.

Collection will be launched on the internet on June 9 and brings together books, plants, nautical charts and manuscripts.

The goal is to make the collection of the Kelvin Duarte Library available at the National Museum of the Sea available to as many researchers as possible, promoting accessibility and making the library a national reference in the theme, in order to attend students, inquisitors and specialists.

The collection available on the site includes, in addition to books, also plants, nautical charts and manuscripts. Much of the collection consists of a meeting of out-of-circulation books from the book market, sold-out editions and precious content, covering subjects that include naval history, modeling, fishing, folklore, travel descriptions, among others.



Researchers will find on the site publications such as Compendio del arte de vela (Rodrigo de Zamorano, 1581) and Trip from Paraguay to the Amazon (Paulo Ehrenreich, 1853). To facilitate access to the user, the searches of the publications can be made according to criteria of: communities and collections; Date of document; Authors; Securities; And subjects.

The project was financed by the Institute of National Historical and Artistic Heritage (Iphan), through an agreement with the Association of Friends of the Museum of the Sea, and had a partnership with the State University of Santa Catarina (UDESC) and the Catarinense Foundation of Culture .

National Museum of the Sea

The National Museum of the Sea of ​​São Francisco do Sul (SC) has a collection of rare works available in the Kelvin Duarte Library, composed of about 3,000 documents of various types - nautical charts, boat plants, naval engineering documents, documents Of the Portuguese navy of the time of the Brazilian colonization, among other historical documents.

The Library is named after one of the greatest connoisseurs and scholars of Brazilian naval modeling, Kelvin Duarte. The specialist dedicated his life to the study of the construction of nautical miniatures, besides having collected national and international books on the subject of rare commercial and intellectual value, acquired by the Museum of the Sea.




-
On Thursday (1), governor Raimundo Colombo made the decision to municipalize the National Museum of the Sea, in São Francisco do Sul. The decision, according to the governor, complies with a request from the municipality and Iphan (Institute of Historic Patrimony National Artistic). "The best way is to go to the City Hall and give all the financial and human conditions so she can take better care of what we have been able to do so far," she says.

The National Sea Museum was created in 1993 and has a collection of more than 90 original vessels from around the country and approximately 150 miniatures, which are true treasures of Brazilian maritime history. The management of the museum is shared between the State Government, FCC (Catarinense Foundation of Culture) and Association of Friends of the Museum. According to the architect of Iphan, Dalmo Vieira Filho, the museum has a great importance for the cultural patrimony of Brazil, so Iphan endorses this decision.

For him, the municipalization will take place, a term will be elaborated by the Civil House and during elaboration of the document of transfer, the competent activities will be described to all these organs. "It is very important to requalify the museum in the way from which it should never have left and with the term we will reestablish the partnership system," he points out.

This process should be completed in up to two months, the goal, according to the secretary of the ADR (Regional Development Agency), Simone Schramm is that tailor-made will aid in the debureaucratization of resources primarily for the maintenance of the museum. The box office will be the alternative to this feature. "Our main objective was to articulate in the government a way to revert tickets for the conservation of space and this will allow a better conservation of the building and the collection itself," he says.

The meeting was attended by the governor, ADR secretary of Joinville and the representative of Iphan, Secretary of State for Tourism, Culture and Sports, Filipe Mello, secretary of the Civil House, Nelson Serpa and the navigator Amyr Klink.

Happy decision

The navigator Amyr Klink believes that the municipalization was a happy decision, because according to him, although the space has had some problems, it is still considered a world reference. In addition, he says that the management will be much more dynamic, being made by those who have knowledge of the operation of the museum. "For São Chico the museum could be an interesting alternative, a generator of wealth, it is already an important destination and may tomorrow operate its own marina," he says.

Among the 18 rooms of the museum, there is a room named after the navigator, which safeguards naval models, models of boats used by the navigator. "I'm finishing the restoration of a boat and I really want to take him back. His house is San Chico, once this new route is set for the museum," he said.

By Suelen Soares





fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br
Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, Santa Catarina, Brasil,  digitaliza  mais de 800 documentos navais históricos. 

Acervo será lançado na internet em 9 de junho e reúne além de livros, plantas, cartas náuticas e manuscritos.

O objetivo é a disponibilização do acervo da Biblioteca Kelvin Duarte, que fica no Museu Nacional do Mar, ao maior número de pesquisadores possível, promovendo acessibilidade e tornando a biblioteca uma referência nacional no tema, a fim de atender estudantes, curiosos e especialistas.

O acervo disponibilizado no site reúne, além de livros, também plantas, cartas náuticas e manuscritos. Grande parte do acervo se constitui em uma reunião de exemplares fora de circulação do mercado livreiro, edições esgotadas e de conteúdo precioso, abordando assuntos que incluem história naval, modelismo, pesca, folclore, descrição de viagens, entre outros.

Os pesquisadores encontrarão no site publicações como Compendio del arte de navegar (Rodrigo de Zamorano, 1581) e Viagem do Paraguay ao Amazonas (Paulo Ehrenreich, 1853). Para facilitar o acesso ao usuário, as buscas das publicações poderão ser feitas segundo critérios de: comunidades e coleções; data do documento; autores; títulos; e assuntos.

O projeto foi financiado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio de convênio com a Associação dos Amigos do Museu do Mar, e contou com parceria com a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Fundação Catarinense de Cultura.

Museu Nacional do Mar

O Museu Nacional do Mar de São Francisco do Sul (SC) conta com um acervo de obras raras disponível na Biblioteca Kelvin Duarte, composto por cerca de 3 mil documentos de variados tipos – cartas náuticas, plantas de embarcações, documentos sobre engenharia naval, documentos da marinha portuguesa da época da colonização brasileira, entre outros documentos históricos.

A Biblioteca leva o nome de um dos maiores conhecedores e estudiosos do modelismo naval brasileiro, Kelvin Duarte. O especialista dedicou sua vida ao estudo da construção de miniaturas náuticas, além de ter reunido livros nacionais e internacionais sobre o assunto de raro valor comercial e intelectual, adquiridos pelo Museu do Mar.

-
Na quinta-feira (1), o governador Raimundo Colombo tomou a decisão de municipalizar o Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul. A decisão, segundo o governador, atende a um pedido do município e do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional). “A melhor forma é passar para a Prefeitura e dar todas as condições financeiras e humanas pra que ela possa cuidar melhor do que nós estamos conseguindo fazer até agora”, afirma.

O Museu Nacional do Mar foi criado em 1993, e reúne um acervo guarda mais de 90 embarcações originais, vindas de todo o país e aproximadamente 150 miniaturas, que são verdadeiros tesouros da história marítima brasileira. A gestão do museu é compartilhada entre o Governo do Estado, FCC (Fundação Catarinense de Cultura) e Associação de Amigos do Museu. De acordo com o arquiteto do Iphan, Dalmo Vieira Filho, o museu possui uma grande importância para o patrimônio cultural do Brasil, então o Iphan endossa essa decisão.

Para ele, a municipalização se concretizar, um termo será elaborado pela Casa Civil e durante elaboração do documento de transferência, serão descritas as atividades competentes a todos estes órgãos. “É muito importante para requalificar o museu no caminho do qual ele nunca deveria ter saído e com o termo vamos restabelecer o sistema de parceria”, ressalta.

Esse processo deverá ser concluído em até dois meses, o objetivo, segundo a secretária da ADR (Agência de Desenvolvimento Regional), Simone Schramm é que à medida irá auxiliar na desburocratização dos recursos principalmente para a manutenção do museu. A bilheteria será a alternativa para este recurso. “Nosso principal objetivo era articular no governo uma forma de reverter os ingressos para a conservação do espaço e isso irá permitir uma melhor conservação do prédio e do próprio acervo”, afirma.

Estavam presentes na reunião além do governador, da secretária da ADR de Joinville e o representante do Iphan, o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Filipe Mello, o secretário da Casa Civil, Nelson Serpa e o navegador Amyr Klink.

Decisão feliz

O navegador Amyr Klink acredita que a municipalização foi uma decisão feliz, pois segundo ele, embora o espaço tenha passado por alguns problemas, ainda é considerado uma referência mundial. Além disso, ele afirma que a gestão será bem mais dinâmica, sendo feita por quem tem o conhecimento do funcionamento do museu. “Para São Chico o museu poderá ser uma alternativa interessante, um gerador de riqueza, ele já é um destino importante e pode amanhã operar uma marina própria”, comenta.

Entre as 18 salas do museu, está uma sala em homenagem ao navegador, que salvaguarda modelos navais, maquetes de barcos utilizados pelo navegador. “Estou terminando o restauro de um barco e quero muito levar ele de volta A casa dele é São Chico, assim que estiver definido esse novo caminho para o museu”, disse.

Por Suelen Soares




Nenhum comentário:

Postar um comentário