Google+ Followers

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Cyprus Archaeological Museum. Theoni Xanthi of XZA Architects has been selected as the winner in the competition to design the new archaeological museum in Cyprus. - Museu Arqueológico de Chipre. Theoni Xanthi, da XZA Architects, foi escolhida como vencedora na competição para projetar o novo museu arqueológico em Chipre.

Composed of three layers corresponding to Memory, the City, and the River, Xanthi's proposal took first place in a competition that sought a new urban space to celebrate Nicosia’s history and archaeology. The project is situated in close proximity to the medieval city walls, enabling it to play a key role in altering and upgrading the existing urban and green spaces that surround it.



“The new archaeological museum—within today’s globalized reality—seeks to express its identity through the elements that gave birth to the Cypriot civilization," explains Xanthi. "Not only the materials, but also the characteristics of Mediterranean life and culture (the proximity of the natural, the meeting centers, the sightlines to the landscape, the search for dense shade etc) that are still alive in the everyday life of the locus... It aims to be a landmark, a cultural installation that would nurture new environments and behaviors, and act as a revitalizing gesture to the city.”



Three horizontal zones aim to combine past archaeological finds with the present, creating the apparently hovering building. The museum is located in the uppermost "Memory" layer, while the intermediate "City" layer “welcomes the city” and the bottom "River" layer accommodates everyday programs. Similarly, the museum and permanent exhibitions themselves are also fragmented in three ways.



The first of these is TOPOS, which highlights the relationship between Cyprus' first settlers and the land they inhabited. The connection between land and water is the focus of SEA, while the third category, COSMOS, explores the interaction between different Mediterranean cultures.


Formally, the three buildings comprising the museum respond to the triangular plot upon which it is located by creating views towards the river and the city, extending the sightlines of the environment. At ground level is the public realm, allowed to pass through the elevated buildings and creating spaces such as yards, a garden, an atrium and a public square. The entrance is demarcated by a bioclimatic canopy, as the design aims to encompass structural, urban, functional and bioclimatic demands.


A “museological narration” is created through the organization of exhibition spaces, with the mezzanine level operating at a human scale and numerous small exhibitions integrated into the envelope, creating opportunities for diverse media displays.

Architect: Theoni Xanthi, XZA Architects with Thodoris Androulakis, Spiros Yiotakis, and Margarita Zakynthinou.
Collaborating Architects: Y. Andreadis - YAP, Fereos + Associates Architects
Museologist: N. Papadimitriou
Structural: D. Bosia - AKT 2 UK, S. Efstratiadis - Helliniki Meletitiki SA
Mechanical: K. Zacharios - H-M Engineering SA
Electrical: K. Georgakopoulos – P. Gourdouparis
Environmental: B. Cimerman – Elements Ingenierie, FR
Landscape: H. Pangalou
Working Team: P. Pappa, E. Orfanou, N. Keramianakis, K. Varkarolis, S. Chatzis, N. Christidi, E. Keramianaki, and S. Doukas. 







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.








--br via tradutor do google
Museu Arqueológico de Chipre.

Theoni Xanthi, da XZA Architects, foi escolhida como vencedora na competição para projetar o novo museu arqueológico em Chipre.

Composto por três camadas correspondentes a Memória, Cidade e Rio, a proposta de Xanthi ocupou o primeiro lugar em uma competição que buscava um novo espaço urbano para celebrar a história e a arqueologia de Nicosia. O projeto está situado nas proximidades das muralhas da cidade medieval, permitindo-lhe desempenhar um papel fundamental na alteração e atualização dos espaços urbanos e verdes existentes que o cercam.

"O novo museu arqueológico - dentro da realidade globalizada de hoje - busca expressar sua identidade através dos elementos que deram origem à civilização cipriota", explica Xanthi. "Não só os materiais, mas também as características da vida e cultura mediterrânea (a proximidade de O natural, os centros de reunião, as linhas de visão para a paisagem, a busca de densa sombra etc.) que ainda estão vivos na vida cotidiana do locus ... Ele pretende ser um marco, uma instalação cultural que criaria novos ambientes e Comportamentos e atua como um gesto revitalizante para a cidade ".

Três zonas horizontais visam combinar descobertas arqueológicas passadas com o presente, criando o edifício aparentemente pairante. O museu está localizado na camada "Memória" mais alta, enquanto a camada intermediária "Cidade" acolhe a cidade e a camada inferior do "Rio" acomoda programas diários. Da mesma forma, o museu e as exposições permanentes são também fragmentadas de três maneiras.

O primeiro deles é o TOPOS, que destaca a relação entre os primeiros colonos de Chipre e as terras que habitavam. A conexão entre terra e água é o foco do SEA, enquanto a terceira categoria, COSMOS, explora a interação entre diferentes culturas mediterrâneas.

Formalmente, os três edifícios que compõem o museu respondem ao gráfico triangular sobre o qual ele se encontra criando visões para o rio e a cidade, estendendo as linhas de visão do meio ambiente. Ao nível do solo é o domínio público, permitido atravessar os edifícios elevados e criar espaços como estaleiros, um jardim, um átrio e uma praça pública. A entrada é demarcada por um dossel bioclimático, uma vez que o projeto visa abranger exigências estruturais, urbanas, funcionais e bioclimáticas.

Uma "narração museológica" é criada através da organização de espaços expositivos, com o nível entrecruzamento a escala humana e inúmeras pequenas exposições integradas no envelope, criando oportunidades para diversos displays de mídia.


Arquiteto: Theoni Xanthi, XZA Arquitetos com Thodoris Androulakis, Spiros Yiotakis e Margarita Zakynthinou.
Arquitetos Colaboradores: Y. Andreadis - YAP, Fereos + Associates Architects
Museologista: N. Papadimitriou
Estrutural: D. Bosia - AKT 2 UK, S. Efstratiadis - Helliniki Meletitiki SA
Mecânica: K. Zacharios - H-M Engineering SA
Elétrica: K. Georgakopoulos - P. Gourdouparis
Ambiental: B. Cimerman - Elements Ingenierie, FR
Paisagem: H. Pangalou
Equipe de trabalho: P. Pappa, E. Orfanou, N. Keramianakis, K. Varkarolis, S. Chatzis, N. Christidi, E. Keramianaki e S. Doukas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário