Google+ Followers

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Embroidery became Intangible Heritage of Alagoas, Brazil, in March 2014. - Bordado se tornou Patrimônio Imaterial de Alagoas, Brasil, em março de 2014.

Tradition of the Pontal da Barra, embroidered Filé is part of the life of the artisans of the neighborhood.

Picture 1 Bairro do Pontal da Barra is a reference of handicrafts, in the embroidery line, such as Filé, lace and labyrinth (Photo: Assessoria)

Is it on the banks of the Mundaú Lagoon that hundreds of women in the neighborhood Pontal da Barra weave colors, shapes and why not lives? Skilled hands, often accustomed to working from an early age, carry in themselves more than movements imbedded in the memory. They are hands that tell stories. They are stories that have as a plot Filé, embroidery that, point by point, draws and writes the life of each artisan.

Filé is passed down as an inheritance among the majority of residents of the historic neighborhood of Pontal. Hand and hand products, which attract the attention of those who pass through the streets, help supplement the income of most artisans. For Dona Tânia, born and raised in the neighborhood, Filé has been part of her life since her first steps.

"In my family embroidery is passed down for generations, I learned from my mother and grandmother and passed on to all my children. It is a culture that is part of my life, "says the artisan.

For the tradition to continue we must fight for ideals. This is the case of artisan Lígia Mirin, currently president of the Association of Artisans of Pontal da Barra. "Being at the head of the Association is rewarding, but it's also tiring. It's hard work. I, along with so many other artisans, strive to keep this tradition alive in our State. We try to make different products so that we can improve the flow and the time of the tourist here in Alagoas ", says Lígia.

According to the Association's president, the craftsmanship generates a good number of indirect jobs. "We decided to create the Association to fight together for the same ideal, which is the improvement of life, work and infrastructure. Only here in Pontal a thousand women embroider Filé and we also bought the production of other associations, thus generating 15 thousand indirect jobs ".

Among its colors and lines, Filé, which stands out where it is present, still needs, like all the culture that surrounds it, to be more valued by the Alagoan. "We need to know what we have, what we produce and, above all, we value ourselves more", finishes Lígia.

Intangible Assets

By unanimous decision of the State Council of Culture, embroidery Filé became Intangible Heritage of Alagoas in March 2014.




Image 2
(Photo: Agência Alagoas)

According to the Secretary of State for Culture, Mellina Freitas, there are still no actions that encourage the development of intangible goods in the State, but stresses the importance of a constant debate on public policies geared to culture and bring, according to her, A positive return in the sense of resignifying and fomenting culture in Alagoas ".

"Today, Filé is a territorial icon, a visual identity of our land, that allows a feedback of meanings. Registration is important, but the appreciation of the population is even more so. The Government of Alagoas works to spread, develop and value the culture of Alagoas ", stressed the owner of the portfolio.

Pontal da Barra

Pontal da Barra, a neighborhood in the South Zone of Maceió, is located on the banks of the lush Mundaú Lagoon. The neighborhood is a reference for handicrafts, in the embroidery line, such as Filé, lace and labyrinth, and also stands out in the gastronomy, with restaurants and bars that serve seafood and the lagoon.





Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.






--br
Bordado se tornou Patrimônio Imaterial de Alagoas em março de 2014.

Tradição do Pontal da Barra, bordado Filé faz parte da vida dos artesãos do bairro.

imagem 1
Bairro do Pontal da Barra é referência do artesanato, na linha de bordados, como Filé, renda e labirinto (Foto: Assessoria)

É às margens da Lagoa Mundaú que centenas de mulheres do bairro Pontal da Barra tecem cores, formas e porque não vidas? As mãos habilidosas, muitas vezes acostumadas a trabalhar desde cedo, carregam em si mais que movimentos cravados na memória. São mãos que contam histórias. São contos que têm como enredo o Filé, bordado que, ponto a ponto, desenha e escreve a vida de cada artesã.

O Filé é passado como herança entre a maioria das residentes do histórico bairro do Pontal. De mão e mão os produtos, que chamam a atenção de quem passa pelas ruas, ajudam a complementar a renda da maioria das artesãs. Para Dona Tânia, nascida e criada no bairro, o Filé faz parte de sua vida desde seus primeiros passos.

“Na minha família o bordado é passado por gerações, aprendi com minha mãe e avó e passei para todos os meus filhos. É uma cultura que faz parte da minha vida”, afirma a artesã.

Para que a tradição continue é preciso lutar por ideais. Esse é o caso da artesã Lígia Mirin, atualmente presidente da Associação dos Artesãos do Pontal da Barra. “Estar à frente da Associação é gratificante, mas, também, é cansativo. É um trabalho árduo. Eu, junto com tantos outros artesãos, lutamos para mantermos viva essa tradição no nosso Estado. Tentamos fazer produtos diferentes para que, assim, possamos melhorar o fluxo e o tempo do turista aqui em Alagoas”, conta Lígia.

Ainda segundo a presidente da Associação, o artesanato gera um bom número de empregos indiretos. “Resolvemos criar a Associação para lutarmos juntos por um mesmo ideal, que é a melhoria de vida, do trabalho, da infraestrutura. Só aqui no Pontal mil mulheres bordam o Filé e compramos também a produção de outras associações, gerando assim 15 mil empregos indiretos”.

Entre suas cores e linhas, o Filé, que se destaca onde está presente, ainda precisa, assim como toda a cultura que o cerca, ser mais valorizado pelo alagoano. “Nós precisamos conhecer o que temos, o que produzimos e, acima de tudo, nos valorizarmos mais”, finaliza Lígia.

Patrimônio Imaterial
Por decisão unânime do Conselho Estadual de Cultura, o bordado Filé se tornou Patrimônio Imaterial de Alagoas em março de 2014.

image 2
(Foto: Agência Alagoas)

De acordo com a secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, ainda não existem ações que incentivem o desenvolvimento dos bens imateriais no Estado, mas ressalta a importância de um debate constante das políticas públicas voltadas para a cultura e que tragam, segundo ela, “um retorno positivo no sentido de resignificar e fomentar a cultura em Alagoas”.

“Hoje, o Filé é um ícone territorial, uma identidade visual da nossa terra, que possibilita uma retroalimentação de significados. O registro é importante, mas a valorização da população é mais ainda. O Governo de Alagoas trabalha para difundir, desenvolver e valorizar a cultura alagoana”, frisou a titular da pasta.

Pontal da Barra

O Pontal da Barra, bairro da Zona Sul de Maceió, é localizado às margens da exuberante Lagoa Mundaú. O bairro é referência do artesanato, na linha de bordados, como Filé, renda e labirinto, e se destaca também na gastronomia, com restaurantes e bares que servem frutos do mar e da lagoa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário