Google+ Followers

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

REFUGIADOS DE ORIGEM ÁRABE SE TORNAM GUIAS DE MUSEU NA ALEMANHA. -- ORIGIN OF ARAB REFUGEES BECOME MUSEUM GUIDES IN GERMANY

Uma das cidades mais baratas da Europa para viajar, Berlim, a capital da Alemanha, tem uma forte estrutura econômica, se mantendo estável até mesmo em épocas de crise. Além disso, a cidade é riquíssima em sua parte cultural, abrigando alguns dos melhores museus do continente europeu. Um deles, o museu de Arte Islâmica de Berlim, está treinando refugiados de origem árabe, mais especificamente da Síria e do Iraque, para serem guias dos visitantes do museu e, especialmente, de conterrâneos que estejam no país alemão, em uma tentativa de fugir de suas terras em conflito.




Segundo o diretor do museu, Stefan Weber, o objetivo é que os refugiados de origem árabe comecem a visita guiada no último degrau da escada, para se sentirem cada vez mais inseridos na sociedade alemã, pois, para ele, após essas pessoas terem perdido tudo, sua identidade cultural deve ser A coleção, que faz parte do Museu Pergamon, que engloba ao todo três museus distintos, explora os séculos de intercâmbio cultural entre o islamismo, o cristianismo e o judaísmo, que resultaram em filosofias e guerras entre o Oriente Médio e a Europa.




Em algumas partes dessa história, as culturas se misturam em um único lugar, como é o caso de Qas Mshatta, o palácio de inverno que foi construído no século 8 por um califa e que, hoje, é a Jordânia. Apesar de grande parte do complexo só ter vestígios em sua existência em ruínas, pedaços da fachada ainda estão guardados em Berlim.intacta.

O objetivo é que os refugiados se sintam cada vez mais inseridos na sociedade alemã






fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


http://www.pureviagem.com.br/noticia/refugiados-de-origem-arabe-se-tornam-guias-de-museu-na-alemanha_a12272/

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.




--in via tradutor google
ORIGIN OF ARAB REFUGEES BECOME MUSEUM GUIDES IN GERMANY

The Islamic Art Museum in Berlin is training refugees from Syria and Iraq to be guides on site

The Islamic Art Museum in Berlin is training refugees from Syria and Iraq to be guides on site
One of the cheapest in Europe to travel cities, Berlin, capital of Germany, has a strong economic structure, remaining stable even in times of crisis. In addition, the city is rich in its cultural party, sheltering some of the best museums in Europe. One, the Islamic Art Museum in Berlin is training refugees of Arab origin, specifically Syria and Iraq, to ​​be the museum visitor guides and especially of countrymen who are in German country, in an attempt to escape from their lands in conflict.

According to the museum's director, Stefan Weber, the goal is that the Arab origin of refugees begin the tour at the last rung of the ladder, to feel increasingly embedded in German society because, for him, after these people have lost everything , their cultural identity must be kept intact.

The goal is that refugees feel increasingly embedded in German society
The goal is that refugees feel increasingly embedded in German society
The collection, which is part of the Pergamon Museum, which includes a total of three different museums, explores the centuries of cultural exchange between Islam, Christianity and Judaism, which resulted in philosophies and wars between the Middle East and Europe.

In some parts of this story, cultures mix in one place, as is the case of Qas Mshatta, the winter palace which was built in the 8th century by a caliph and that today is Jordan. Although much of the complex only have traces of its existence in ruins, the facade pieces are still kept in Berlin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário