Google+ Followers

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Orumieh Museum, West Azerbaijan, Urmia, Beheshti Ave, Irã. --- Museu Orumieh, Azerbaijão Ocidental, Urmia, Beheshti Ave, Irã

Hereone can see archaeological and ethnological objects and cultural costumes from the earliest prehistoric, pre-Islamic, and Islamic eras, as well as national art relics. Also on display is a huge brick tablet, moved from an important archaeological site near the Iraq border to escape destruction during the Iran-Iraq war.

With an area of 750 sq m is located at Shahid Dr Beheshti Avenue.

The structure of museum, built in 1969, consists of two halls, one bigger than the other, Archeological and ethnological objects are exhibited here, representing a remarkable collection dating from prehistoric, pre-Islamic and Islamic periods. 

According to historical documents, the western part of the Urmia Lake has been a center of attention of the prehistoric nations, 6 km (3.7 mi) southeast of the lake which competes with the oldest hills of Mesopotamia, Asia the Minor, and the Iranian Plateau.

The Columbia Encyclopedia mentions that Urmia was an important town in the region during the 9th century.

The Ottoman Turks made several incursions into the city, but the Safavids were soon able to regain control over the area. The first monarch of Iran's Qajar dynasty, Agha Muhammad Khan, was crowned in Urmia in 1795.

Due to the presence of substantial Christian minority at the end of the 19th century, Urmia was also chosen as a site of the first American Christian mission in Iran in 1835. Another mission soon became operational in nearby Tabriz as well. During World War I the population was estimated as 30,000 by Dr. Caujole, a quarter of which (7,500) were Assyrians and 1,000 were Jews.

During the 19th century, the region became the center of a short lived Assyrian renaissance with many books and newspapers being published in Syriac. Urmia was also the seat of a Chaldean diocese.

At the beginning of the First World War tens of thousands of Assyrians and Armenians from Anatolia found refuge in Urmia. 

The city changed hands several times between Russians and Kurds the following two years.[19] The influx of Christian refugees and their alliance with the Russians angered the Muslims who attacked the Christian quarter in February 1918, The better armed Assyrians managed however to capture the whole city following a brief battle. 

The region descended into chaos again after the assassination of the Assyrian patriarch Shimun XXI Benyamin at the hands of Simko Shikak one month later. 

Turkish armies and Samko managed to finally take and plunder the city in June/July 1918. Thousands of Assyrians were massacred as part of the Assyrian Genocide, others found refuge under British protection in Iraq.









fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

https://www.gytol.com/worldwide-destinations/iran/Western-azarbaijan-province/orumieh-city/orumieh-museum/

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.



--br via tradutor do google
Museu Orumieh com uma área de 750 metros quadrados está localizado na Shahid Beheshti Dr Avenue. Aqui se pode ver objetos arqueológicos e etnológicos e costumes culturais, desde as primeiras eras pré-históricas, pré-islâmicas e islâmicas, assim como relíquias de arte nacional. Também em exibição é um grande tablet tijolo, mudou-se de um importante sítio arqueológico perto da fronteira com o Iraque para escapar da destruição durante a guerra Irã-Iraque.
-
Azerbaijão Ocidental, Urmia, Beheshti Ave, Irã
-
A estrutura do museu, construído em 1969, é composto por duas salas, uma maior que a outra, arqueológicos e etnológicos objetos são exibidos aqui, o que representa uma coleção notável que data de períodos pré-históricos, pré-islâmicos e islâmicos.
-
De acordo com documentos históricos, a parte ocidental do lago Urmia tem sido um centro de atenção das nações pré-históricas, a 6 km (3,7 mi) sudeste do lago que compete com as mais antigas colinas de Mesopotâmia, Ásia Menor, e do planalto iraniano .
A Enciclopédia Columbia menciona que Urmia foi uma cidade importante na região durante o século 9.
-
Os turcos otomanos fez várias incursões para a cidade, mas os safávidas foram logo capaz de recuperar o controle sobre a área. O primeiro monarca da dinastia Qajar do Irã, Agha Muhammad Khan, foi coroado em Urmia em 1795.
-
Devido à presença da minoria cristã substancial no final do século 19, Urmia também foi escolhida como local da primeira missão cristã americana no Irã em 1835. Outra missão logo se tornou operacional em Tabriz nas proximidades. Durante a I Guerra Mundial, a população foi estimada em 30.000 pelo Dr. Caujole, um quarto dos quais (7.500) eram assírios e 1.000 eram judeus.
-
Durante o século 19, a região tornou-se o centro de um renascimento assíria de curta duração com muitos livros e jornais sendo publicado em siríaco. Urmia foi também a sede de uma diocese caldéia.
-

No início das dezenas Primeira Guerra Mundial de milhares de assírios e armênios da Anatólia encontraram refúgio em Urmia. A cidade mudou de mãos várias vezes entre russos e curdos a seguinte dois anos. [19] O afluxo de refugiados cristãos e sua aliança com os russos irritou os muçulmanos que atacaram o bairro cristão em fevereiro de 1918, os assírios melhor armados conseguiu no entanto para capturar a cidade inteira após uma breve batalha. A região caiu no caos novamente após o assassinato do patriarca assírio Shimun XXI Benyamin nas mãos de Simko Shikak um mês depois. exércitos turcos e Samko conseguiu finalmente tomar e saquear a cidade em Junho / Julho de 1918. Milhares de assírios foram massacrados como parte do genocídio assírio, outros encontraram refúgio sob proteção britânica no Iraque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário