Google+ Followers

domingo, 13 de março de 2016

O Imperdível Immersive Digital Art da teamLab no ArtScience Museum. --- The Must Immersive Digital Art teamLab of the ArtScience Museum

Desde que apareceu no mundo da arte pela primeira vez, há apenas quatro anos, a coletiva japonesa de arte em novos meios de comunicação, teamLab, consegui obter uma divulgação internacional imediata e este ano tem uma agenda lotada.


Em janeiro, uma de suas instalações digitais de parede gigante saudou os visitantes na Maison & Objet Paris, em seguida, em fevereiro a coletiva abriu a sua primeira grande exposição em Pace Art + Tecnologia no Vale do Silício, apresentando 20 obras, e, depois, no início de março foi a vez da Borusan Contemporary em Istambul desvendar uma exposição da teamLab.


No futuro, a teamLab estará na Martin Browne Contemporary de Sydney e, em seguida, no final deste ano, ela vai apropriar-se de dois andares da Saatchi Gallery, em Londres, para outra experiência totalmente imersiva.

Esta semana, vários membros da coletiva de mais de 450 integrantes, que inclui artistas, engenheiros, programadores, animadores CG, matemáticos, arquitetos e designers, estavam em Cingapura para inaugurar a primeira exposição permanente da ArtScience Museum "Future World: Where Art Meets Science", Mundo do Futuro: Onde a Arte Encontra a Ciência, a primeira de duas grandes exposições permanentes que eles têm planejado para a cidade-estado.

Espalhados por mais de 1.500 m2, ou cerca de um quarto do espaço do museu, a nova exposição imersiva é um deleite visual e auditivo, um tributo ao conceito do museu onde a "arte encontra a ciência".

Mais de 15 instalações digitais da exposição são projetadas para serem totalmente interativas e vão agradar a criança dentro do adulto, e, claro, encantar as próprias crianças. Quem não adoraria sentir a emoção de ver o seu desenho vir a vida como um personagem animado em um mundo digital colorido, ou tornar-se um objeto em 3D? Na sessão Sketch Town, pode-se colorir e desenhar objetos como carros, edifícios e naves espaciais e, em seguida, vê-los aparecer em uma tela digital gigante mostrando uma Singapura futurista (o Merlion continua lá!) e, em seguida, interagir com o seu próprio trabalho. Conectado a esta instalação, pode-se também transformar este desenho em um padrão de papel artesanal e montá-lo em um modelo de papel tridimensional.

Além de instalações que crianças apreciam, há uma abundância obras de arte que provocam o pensamento, como uma instalação digital interativa com flora e fauna que morrem se você chegar perto demais, mas crescem se você voltar para trás e ficar parado. A obra de arte é tanto generativa, as plantas e borboletas são criadas através de algoritmos, como reativa, elas respondem ao ambiente natural, com flores desabrochando em sintonia com as estações do ano.

Enquanto isso, o impressionante “100 Years Sea Animation Diaporama” dá um vislumbre assustador dos efeitos das alterações climáticas, uma vez que ilustra o aumento do nível do mar ao longo de uma costa japonesa, condensado em um prazo de 10 minutos, feito com base em previsões para o próximo século. Além da proeza técnica, a beleza estética da instalação traz à mente a arte japonesa em bloco de madeira e pode ser admirada enquanto se descansa em pufes.

O trabalho final, Crystal Universe, é outra instalação que precisa ser vivida, onde visitantes entram em uma galáxia muito, muito distante, ao ficarem imersos entre 170.000 luzes LED (que dão a ilusão de estrelas se movendo no espaço). A instalação utiliza a tecnologia interativa 4D Vision da teamLab, que permite aos usuários controlarem os LEDs para dar-lhes a ilusão de movimento de luz através de um aplicativo que pode ser acessado em smartphones. Passe o dedo pela tela e sinta-se como se estivesse no centro do universo.

Ainda este ano, a teamLab vai apresentar uma segunda instalação de arte digital imensa, desta vez no Museu Nacional de Cingapura, que será baseada em desenhos de William Farquhar, e mal podemos esperar!






Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.





--in via tradutor do google
The Must Immersive Digital Art teamLab of the ArtScience Museum
Since it appeared in the art world for the first time just four years ago, the Japanese collective art in new media, teamLab, managed to get an immediate international exposure and this year has a busy schedule.

In January, one of its digital installations giant wall greeted visitors at Maison & amp; Objet Paris, then in February the collective opened its first major exhibition at Pace Art + Technology in Silicon Valley, featuring 20 works, and then in early March was the turn of Borusan Contemporary Istanbul unveil an exhibition of teamLab.

In the future, teamLab will be in Martin Browne Contemporary Sydney and then at the end of this year, it will take ownership of two floors of the Saatchi Gallery in London for a fully immersive experience.

This week, several members of the collective of over 450 members, including artists, engineers, programmers, CG animators, mathematicians, architects and designers, were in Singapore to inaugurate the first permanent exhibition of the ArtScience Museum "Future World: Where Art Meets Science "Future World: Where Art Meets Science, the first of two major permanent exhibits that they have planned for the city-state.

Spread over more than 1,500 m2, or about a quarter of museum space, the new immersive exhibition is a visual and auditory treat, a tribute to the concept of the museum where the "art meets science".

More than 15 digital installations of the exhibition are designed to be fully interactive and will please the child in the adult, and of course, delight the children themselves. Who would not love to feel the thrill of seeing your design come to life as an animated character in a colorful digital world, or become a 3D object? In Sketch Town session, you can color and draw objects like cars, buildings and spaceships and then see them appear on a giant digital screen showing a futuristic Singapura (Merlion still there!) And then interact with their own work. Connected to this installation, you can also turn this design into a pattern of handmade paper and mount it on a three-dimensional paper model.

In addition to facilities that children enjoy, there are many works of art that provoke thought, as an interactive digital installation with flora and fauna that die if you get too close, but grow if you go back and stand still. The artwork is both generative, plants and butterflies are created algorithmically as reactive, they respond to the natural environment, with blooming flowers in tune with the seasons.

Meanwhile, the stunning "100 Years Sea Animation Slideshow" gives a frightening glimpse of the effects of climate change, since it illustrates the rising sea level along the Japanese coast, condensed into a period of 10 minutes made based in forecasts for the next century. In addition to the technical prowess, the aesthetic beauty of the facility brings to mind the Japanese art of wood block and can be admired while resting on beanbags.

The final work, Crystal Universe, is another installation that needs to be lived, where visitors enter a galaxy far, far away, to become immersed between 170,000 LED lights (which give the illusion of stars moving in space). The installation uses interactive technology 4D Vision teamLab, which allows users to control the LEDs to give them the illusion of light movement through an application that can be accessed on smartphones. Swipe the screen and feel like you are in the center of the universe.

Later this year, the teamLab will present a second installation of immense digital, this time at the National Museum of Singapore, which will be based on William Farquhar designs, and we can not wait!


Nenhum comentário:

Postar um comentário