Google+ Followers

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Ancient Hand Grenade Found in Israel. --- Antiga Granada de mão Encontrado em Israel.

The weapon, which could destroy ships, may date back as far as the 11th century.



A Crusades-era hand grenade that was retrieved from the sea off the Israeli coast several years ago has been handed over to the Israel Antiquities Authority (IAA) by a family that inherited it.

Made from heavy clay and gorgeously embossed, the incendiary weapon would have been used like some sort of a molotov cocktail. It was filled with naphtha -- a flammable sticky liquid known as Greek fire -- then sealed and hurled onto enemies.

The deadly device was rather popular in naval battles as the fire could easily destroy ships.

RELATED: Rare Crusade-Era Seal Discovered in Jerusalem

According to the IAA, the grenade was common in Israel during the Crusades between the 11th to 13th century and until the Mamluk era, which ran from the 13th to the 16th century.

The weapon was recovered by the late Marcel Mazliah, a worker at the Hadera power plant in northern Israel. It wasn't however the only item that belonged to Mazliah's varied collection.

The archaeologists were surprised to find a treasure trove of metal artifacts, the earliest of which are 3,500 years old. 

Mazliah's family explained the man retrieved such items from the sea over a period of years while working at the power plant.

RELATED: Crusader Hospital Unveiled in Jerusalem

His other finds include a toggle pin and the head of a knife from the Middle Bronze Age, which date back more than 3,500 years. He also recovered candlestick fragments, two mortars and two pestles dating to the 11th century.

"The items were apparently manufactured in Syria and were brought to Israel," Ayala Lester, a curator with the Israel Antiquities Authority, said in a statement.

The archaeologists believe the metal objects, most of which are decorated, fell overboard from a metal merchant's ship in the Early Islamic period (638- 1099)

"The finds are evidence of the metal trade that was conducted during this period," Lester said.








Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti




Credit: Amir Gorzalczany/ Israel Antiquities Authority

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.




--br via tradutor do google
Antiga Granada de mão Encontrado em Israel.


A arma, que poderia destruir navios, pode datar até o século 11.




Uma granada de mão Cruzadas da época que foi recuperado do mar ao largo da costa de Israel há vários anos tem sido entregue à Israel Antiquities Authority (IAA) por uma família que herdou.

Feito de argila pesada e possui uma bela gravado, a arma incendiária teria sido usado como uma espécie de um coquetel molotov. Estava cheio de nafta - um líquido pegajoso inflamável conhecido como fogo grego - então selado e atirou em inimigos.

O dispositivo mortal era bastante popular em batalhas navais como o fogo poderia facilmente destruir navios.

RELACIONADOS: Rare Seal Cruzada-Era descoberto em Jerusalém

De acordo com a IAA, a granada era comum em Israel durante as Cruzadas entre os dias 11 e do século 13 e até a era mameluco, que decorreu entre os dias 13 e do século 16.

A arma foi recuperada pelo falecido Marcel Mazliah, um trabalhador na usina de Hadera no norte de Israel. Não foi no entanto o único item que pertencia a uma coleção variada de Mazliah.

Os arqueólogos foram surpreendidos para encontrar um tesouro de artefatos de metal, o mais antigo dos quais 3.500 anos de idade.

A família de Mazliah explicou o homem recuperado tais itens do mar ao longo de um período de anos, enquanto trabalhava na usina.

RELACIONADOS: Crusader Hospital Revelado em Jerusalém

Seus outros achados incluem um pino de alternância e a cabeça de uma faca da Idade do Bronze Médio, que datam mais de 3.500 anos. Ele também recuperou fragmentos castiçal, dois morteiros e dois pilões que datam do século 11.

"Os itens foram aparentemente fabricados na Síria e foram levados para Israel", Ayala Lester, curador com a Autoridade de Antiguidades de Israel, disse em um comunicado.

Os arqueólogos acreditam que os objetos metálicos, a maioria dos quais são decorados, caiu ao mar do navio de um comerciante de metal no período pré-islâmico (638- 1099)

"As descobertas são uma prova do comércio de metal que foi realizado durante este período", disse Lester.




Nenhum comentário:

Postar um comentário