Google+ Followers

domingo, 4 de setembro de 2016

Roman infanticide was NOT as common as thought: Scans of ancient baby bones reveal many were stillborn. --- Infanticídio em Roma não era tão comum como se pensava: Scans de ossos antigos do bebê revelam que muitos eram natimortos.

The tiny bones of infants in ancient cemeteries around Britain have given Romans a reputation of being cold and merciless.


But researchers using an innovative method of scanning bones have revealed that these tiny bodies were not the victims of vicious infanticide at all.

Instead it appears many of the infants were stillborns, buried in cemeteries alongside other adults, suggesting they were mourned by their families.

Historians had suggested the infants could have been murdered shortly after birth as an attempt to control family sizes or even to ensure a family had more boys than girls. 

The results, however, suggest infanticide was not as widespread as previously believed, with many cases actually being stillborn.

The study was led by researchers from the Natural History Museum, Museum of London and Durham University.

Dr Thomas Booth, co-author of the study, said: 'Distinguishing between the remains of stillborn and liveborn infants is important to archaeologists to judge the health of past populations and to understand how past societies regarded these young deaths.

'There are many examples of cultures both past and present whose ideologies led them to regard these young deaths in a way that meant they had to be treated differently.

'This can be seen relatively recently in the exclusion of unbaptised infants from Catholic cemeteries.'







Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-3769513/Roman-infanticide-NOT-common-thought-Scans-ancient-baby-bones-reveal-stillborn.html#ixzz4JHyMFjpN

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.












--br via tradutor do google
Infanticídio em Roma não era tão comum como se pensava: Scans de ossos antigos do bebê revelam que muitos eram natimortos.

Os pequenos ossos de recém-nascidos nos cemitérios antigos na Grã-Bretanha deram Romanos uma reputação de ser fria e implacável.

Mas os pesquisadores que utilizam um método inovador de digitalizar ossos revelaram que esses pequenos corpos não foram vítimas de infanticídio vicioso em todos.

Em vez disso, aparece muitas das crianças eram natimortos, enterrados em cemitérios ao lado de outros adultos, sugerindo que eles foram pranteado por suas famílias.



Os historiadores haviam sugerido os bebês poderiam ter sido assassinado logo após o nascimento como uma tentativa de controlar o tamanho das famílias ou até mesmo para garantir uma família teve mais meninos do que meninas.

Os resultados, no entanto, sugerem o infanticídio não era tão difundido como se acreditava anteriormente, com muitos casos realmente estar morto.

O estudo foi conduzido por pesquisadores do Museu de História Natural, Museu de Londres e da Universidade de Durham.



Dr Thomas Booth, co-autor do estudo, disse: "A distinção entre os restos de natimortos e vivos é importante para os arqueólogos para julgar a saúde das populações do passado e compreender como as sociedades passadas considerado esses jovens mortes.

"Há muitos exemplos de culturas passadas e presentes cujas ideologias levou-os a considerar estes jovens mortes de uma forma que significava que tinha de ser tratado de forma diferente.

"Isto pode ser visto relativamente pouco tempo na exclusão de crianças não-batizadas de cemitérios católicos. '

Nenhum comentário:

Postar um comentário