Google+ Followers

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

O Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia (Musear), da Universidade Federal de Mato Grosso, Brasil, (UFMT), abre sua nova sede. --- Rondon Museum of Ethnology and Archaeology (Musear), the Federal University of Mato Grosso, Brazil (UFMT), opens its new headquarters.

A cerimônia terá início às 16h30 e contará com a presença da Reitora, Maria Lucia Cavalli Neder. Durante toda a semana haverá programação especial. Além da reforma do espaço anterior, o ambiente físico foi ampliado.


Criada em dezembro de 1970, a UFMT carregou, desde sua fundação, a alcunha de Universidade da Selva. Erguida no marco zero da rodovia Cuiabá-Santarém, a universidade foi pensada como parte de um conjunto de instalações vinculadas às políticas de integração da Amazônia, devendo contribuir com os planos de ocupação do Centro-Oeste.

A criação da universidade da selva, na perspectiva desenvolvimentista imposta na época pela ditadura militar, impunha igualmente um olhar aos que habitavam a selva, ou seja, os povos indígenas. A necessidade de imediata criação de um centro da reflexão e de ação indigenista foi tomada como motivação para criação, em 30 de junho de 1972, do Museu Rondon, inaugurado em 08 de janeiro de 1973. 

Dentre as competências iniciais do museu estava a pesquisa objetivando melhorias para população indígena, a coleta e exposição de acervo correlacionado e fazer do museu um centro de estudos dinâmico para servir a Universidade e da Comunidade. Portanto, em sua criação, o museu apresentava princípios de atuação voltados ao ensino, à pesquisa e à extensão, ou seja, compromissos de um museu universitário. 

Em sua fundação o museu contou com a colaboração de diversas personalidades e instituições que atuavam no indigenismo da época: Orlando Villas Boas, João Américo Peret e Apoena Meireles, Missão Anchieta, dentre outros. Estes eram vinculados ao museu como pesquisadores e foram os primeiros donatários de bens materiais que ainda fazem parte do acervo do Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia.

A criação do museu acontece no contexto das políticas indigenistas da época, que estava sob o comando da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) após a extinção do Serviço de Proteção ao Índio (SPI) em 1967, fundado pelo Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon em 1910, cujo objetivo principal era o de promover a integração dos povos indígenas à comunhão nacional, ou seja, promover o apagamento da diversidade étnica e cultural, tornando-os trabalhadores rurais, guardiões das fronteiras e mão de obra na instalação e manutenção das Linhas Telegráficas e Estratégicas de Mato Grosso ao Amazonas.

Vinculado ao Instituto de Ciências Humanas e Sociais e administrado pelo Departamento de Antropologia, o Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia atualmente apresenta um caráter dinâmico, interessado no estudo sobre o patrimônio cultural dos povos indígenas, na arqueologia e na construção de saberes nas áreas de cultura popular. Seu objetivo não é apenas produzir exposições sobre a cultura material dos povos indígenas, mas também valorizar a importância do conhecimento sobre a diversidade sociocultural e a capacidade que estas sociedades têm de criar e recriar sua cultura. O museu configura-se como um importante centro de divulgação, valorização e respeito da diversidade étnica e cultural do estado de Mato Grosso e do país, contribuindo assim para romper com estereótipos e preconceitos em relação dos povos indígenas.

A programação de reabertura contará com a fala das autoridades, descerramento de placas, abertura da exposição de longa duração, coquetel e apresentação cultural dos cantos e danças do povo xavante. Durante a semana, haverá abertura de exposição, conferência, apresentações culturais, palestras e a recolocação da estátua de Marechal Rondon. O Musear fica dentro da UFMT, próximo ao parque aquático. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3313 7386 ou pelo e-mail museurondonufmt@gmail.com


Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://www.ufmt.br/ufmt/site/noticia/visualizar/32093/Cuiaba

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

O tempo voa, obras de arte são para a eternidade, sem rugas!







--in via tradutor do google
Rondon Museum of Ethnology and Archaeology (Musear), the Federal University of Mato Grosso, Brazil (UFMT), opens its new headquarters.

Rondon Museum of Ethnology and Archaeology (Musear), the Federal University of Mato Grosso (UFMT), opens its new headquarters on Monday (10). The ceremony will start at 16:30 and will be attended by the Rector, Maria Lucia Cavalli Neder. Throughout the week there will be special programming. In addition to the retirement of the previous space, the physical environment was expanded.

Founded in December 1970, UFMT carried since its founding, the University of Jungle nickname. Erected at ground zero of the Cuiabá-Santarém highway, the university was conceived as part of a set of associated facilities to Amazon integration policies and should contribute to the occupation plans of the Midwest.

The creation of the Jungle university in developmental perspective at the time imposed by the military dictatorship, also imposed a look at that inhabited the jungle, or indigenous peoples. The need for immediate creation of a center of reflection and indigenous action has been taken as a motivation for creation, on June 30, 1972, Rondon Museum, inaugurated on January 8, 1973.

Among the initial skills of the museum was research aimed at improvements to the indigenous population, the collection and correlated collection of exposure and make the museum a center of dynamic studies to serve the University and the Community. Therefore, in its creation, the museum presented principles of action geared to teaching, research and extension, ie commitments of a university museum.

At its founding the museum with the collaboration of various personalities and institutions acting in the indigenization of the time: Orlando Villas Boas, John Americo Peret and Apoena Meireles, Mission Anchieta, among others. These were linked to the museum as researchers and were the first grantees of material goods that are still part of the Rondon Museum collection of Ethnology and Archaeology.

The creation of the museum takes place in the context of indigenous policies of the time, which was under the command of the National Indian Foundation (FUNAI) after the extinction of the Indian Protection Service (SPI) in 1967, founded by Marshal Cândido Mariano da Silva Rondon in 1910, whose main objective was to promote the integration of indigenous peoples into the national community, namely to promote the erasure of ethnic and cultural diversity, making them rural workers, guardians of borders and labor in the installation and maintenance of the Telegraph Strategic and Mato Grosso to the Amazon.

Linked to the Institute of Humanities and Social and administered by the Department of Anthropology, the Rondon Museum of Ethnology and Archaeology currently has a dynamic character, interested in the study of the cultural heritage of indigenous peoples, archeology and construction of knowledge in the areas of culture popular. Your goal is not only to produce exhibits on the material culture of indigenous peoples, but also value the importance of knowledge about the socio-cultural diversity and the ability of these companies have to create and recreate their culture. The museum is configured as an important center for the dissemination, appreciation and respect for ethnic and cultural diversity of the state of Mato Grosso and the country, thus helping to break stereotypes and prejudices against indigenous peoples.

The reopening of programming will include speech of the authorities, boards unveiling, opening of the long-term exposure, cocktail and presentation of cultural songs and dances of the Xavante people. During the week, there will be the opening exhibition, conference, cultural performances, lectures and the replacement of the Marechal Rondon statue. The Musear is within UFMT, near the water park. More information can be obtained by calling 3313 7386 or by e-mail museurondonufmt@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário