Google+ Followers

terça-feira, 8 de novembro de 2016

MoMA digitaliza arquivos de milhares de exposições. --- MoMA scans files from thousands of exposures.

A iniciativa permite que o público tenha acesso ao acervo de todas as mostras organizadas no museu, desde a sua fundação em 1929 até hoje.

Vista da mostra “Bauhaus: 1919-1928",
apresentanda em 1939. Crédito: Soichi Sunami

Um dos museus mais prestigiados do mundo, o MoMA (Museum of Modern Art) de Nova York acaba de disponibilizar online o acervo de todas as exposições que já passaram por lá – cerca de 3.500, desde a sua fundação, em 1929. Com acesso gratuito, o banco de dados contém fotografias, catálogos, textos críticos e listas dos artistas. Ainda em fase de aprimoramento, o projeto do museu também prevê a digitalização dos filmes que integram a coleção da instituição.

A iniciativa permite assim que o público tenha acesso online a exposições icônicas como Cubismo e Arte Abstrata, de Alfred H. Barr, apresentada no MoMA em 1936, ou African Negro Art, mostra realizada em 1935, que foi uma das primeiras nos EUA a exibir esculturas africanas como obras de arte e não peças de etnografia. Para aqueles interessados em arquitetura, o arquivo contém 660 itens relativos ao tema, inclusive a icônica exposição Bauhaus 1919-1928, organizada por Herbert Bayer.

Vista da exposição
"Cézanne, Gauguin, Seurat, Van Gogh", de 1929

O diretor da instituição, Glenn D. Lowry, reforça a importância do projeto: “Ao tornar esse material acessível e gratuito, esperamos não apenas estimular estudantes e pesquisadores como também desenvolver um interesse mais amplo nesse capítulo da história da arte que o museu representa”, acrescenta.

Além de uma database com todas as exposições, o projeto também oferece mecanismos de pesquisa nos quais é possível filtrar as informações desejadas de acordo com critérios diversos como período, tema ou artista. Para acessar, basta entrar no site do museu.








fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.


O tempo voa, obras de arte são para a eternidade, sem rugas!










--in via tradutor do google
MoMA scans files from thousands of exposures.

The initiative allows the public to have access to the collection of all the exhibitions organized in the museum, from its foundation in 1929 until today.

View of the exhibition "Bauhaus: 1919-1928", presented in 1939. Credit: Soichi Sunami

One of the most prestigious museums in the world, the MoMA (Museum of Modern Art) in New York has just made available online the collection of all the exhibitions that have been there - about 3,500 since its founding in 1929. With free access , The database contains photographs, catalogs, critical texts and artist lists. Still in the process of improvement, the museum project also provides for the digitization of the films that make up the collection of the institution.

The initiative thus enables the public to have online access to iconic exhibitions such as Cubism and Abstract Art, by Alfred H. Barr, presented at MoMA in 1936, or African Negro Art, a show held in 1935, which was one of the first in the US to exhibit African sculptures as works of art and not pieces of ethnography. For those interested in architecture, the archive contains 660 items related to the theme, including the iconic Bauhaus exhibition 1919-1928, organized by Herbert Bayer.

View of the exhibition "Cézanne, Gauguin, Seurat, Van Gogh", 1929

The director of the institution, Glenn D. Lowry, emphasizes the importance of the project: "By making this material accessible and free, we hope not only to stimulate students and researchers but also to develop a wider interest in this chapter of the art history that the museum represents" , Adds.

In addition to a database with all the exhibits, the project also offers search engines in which it is possible to filter the desired information according to various criteria such as period, theme or artist. To access, just go to the museum's website.


Nenhum comentário:

Postar um comentário