Google+ Followers

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Patrimônio IMATERIAL - O processo de submissão da inscrição das Festas Nicolinas no Inventário Nacional do Património Cultural e Imaterial, da Direcção Geral do Património Cultural, vai ser apresentado no âmbito das comemorações do dia 13 de Dezembro para assinalar a comemoração dos 15 anos da classificação do Centro Histórico como Património Cultural da Humanidade.

A Cooperativa A Oficina anunciou a organização de um encontro juntamente com o Centro em Rede de Investigação em Antropologia da Universidade do Minho (CRIA) em torno das questões relacionadas com o patrimônio cultural imaterial. O evento terá lugar no Centro Internacional das Artes José de Guimarães. “Em Concreto. 

O Patrimônio Cultural Imaterial no Terreno. Expectativas, Experiências, Perspectivas "é o nome da iniciativa, em que participará Jean-Yves Durand, com a comunicação inicial intitulada" Inventariar, com os pés no chão: avanço rápido ou passo suspenso? ", seguindo-se depois uma outra participação sob a designação" Inventariar, entre a espada das instituições e a parede do terreno: “ficha” e “candidatura” - o caso das Festas Nicolinas, em Guimarães.

Instado a comentar a preocupação demonstrada por André Coelho Lima, o Vereador da Cultura fez questão de assinalar que o referido encontro já estava anunciado, com os contributos do antropólogo que se tem debruçado sobre as Festas Nicolinas. "Mais difícil do que fazer este tipo de acusações é realizar um trabalho reconhecido", declarou José Bastos, garantindo que "a Câmara de Guimarães não instrumentalizou, nem vai instrumentalizar as Festas Nicolinas a favor de coisa nenhuma". "O estudo está a ser feito e já tinha sido divulgado o encontro agendado para o dia 13 de Dezembro", referiu, ao considerar "inoportunas as declarações feitas".

Quanto à inscrição da confecção dos sardões e das passarinhas no Inventário Nacional do Patrimônio Cultural e Imaterial, José Bastos indica que há outras realidades concelhias que também já têm processos de inscrição iniciados, como os bordados e a Romaria de S. Torcato.

Para celebrar os 15 anos do título da UNESCO, a Câmara vai oferecer um livro para crianças sobre patrimônio a todas as escolas do concelho de Guimarães e nele estão mencionadas as principais figuras históricas ligadas à cidade, além de ser valorizado o patrimônio material e a fundação do berço da nacionalidade. A oferta enquadra-se num dos principais objetivos do Plano Estratégico Educativo, agora em discussão pública, que pretende dar uma verdadeira educação patrimonial a todos os alunos do concelho de Guimarães. 

A obra tem a assinatura do autor de livros infantis João Manuel Ribeiro, sendo publicado pela editora vimaranense Opera Omnia. O Município vai igualmente oferecer 1500 exemplares do “Manual (para um pequeno) Nicolino”, da autoria de Paulo César Gonçalves e Gabriela Cunha.

Também no dia 13 de dezembro, às 17h00, o Presidente do Município, Domingos Bragança, fará uma intervenção no Centro Histórico sobre os 15 anos da classificação como Património Cultural da Humanidade, enquanto meia hora depois é inaugurada a instalação artística com 22 balões gigantes, que vão permanecer ligados até ao dia 25 de dezembro. Às 17h45, em parceria com a ESAG e a empresa ARRIVA, a Câmara Municipal inaugura, na Alameda de S. Dâmaso, o projeto “As Paragens onde o Tempo Habita”, com abrigos intervencionados a mostrarem arte nas paragens de autocarro de Guimarães. À noite, com início às 21h00, realiza-se a “Corrida Pelo Património”.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://www.guimaraesdigital.com/noticias/66182/processo-de-inscricao-das-nicolinas-apresentado-em-encontro-de-patrimonio-imaterial

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

O tempo voa, obras de arte são para a eternidade, sem rugas!





Nenhum comentário:

Postar um comentário