Google+ Followers

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

African vernacular architecture. --- Arquitetura vernacular africana.

A country's culture is defined by many things; including language, music, art and cuisine. There is a term called 'genius loci that translates to the spirit of a place. It is what makes a culture distinct from another one. 

The most visual of these cultural components is a country's architecture, and it is quite varied and distinct. From a skyscraper in New York city.. to a castle in England... to a Japanese temple... or Cape Dutch architecture in South África, ali have a unique spirit, different from ali others. This is also true for African vernacular architecture.

The beehive homes in Swaziland are as different as homes constructed in Ethiopia called tukul by the Gurage people. A granary constructed in Malawi is completely different than a granary in though the function is the same. Vernacular architecture is composed of local materiais and derived from local customs and techniques that have been passed down from generation to generation.




But vernacular architecture in most (if not ali) African countries is disappearing, being abandoned for Western materiais and techniques.

Yet even though this is an important component of culture, there is very little information available on line.

There are many reasons why this is occurring, but the main reason is the biggest myth of vernacular architecture: the negative perceptions attached to the term. 





Whereas Western materiais and techniques are seen as modem, permanent, and for the affluent, the vernacular is viewed as substandard, outdated, temporary, or for the poor.

These views are not only the ones of Western societies, but more importantly the beliefs of people in África as well, especially at the village level.


The vernacular architecture of África is very diverse. People build with what materiais are locally available, and this varies due to what area of África it is.

The materiais come from what the land provides.. mud, thatch, wood, bamboo, reeds stones and rocks. These are used in different methods due to cultural norms.




Jon Sojkowski is an architect with a passion for African vernacular architecture. Interest began when he was a Peace Corps volunteer living in a mud hut in Zambia.

It provided the opportunity to document vernacular architecture across the country. In 2014 he created an Indie GoGo campaign to conduct similar surveys in Malawi. In addition to its database of African vernacular architecture, its research can be seen on its sites vernacular architecture in Zambia, vernacular architecture in Malawi, vernacular architecture in Swaziland.

Jon lives in Beaufort, South Carolina and is looking for opportunities to conduct more documentation in Africa. He can be reached at africanvernaculararchitecture@gmail.com






Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.


 
















--br via tradutor do google
Arquitetura vernacular africana.
 
A cultura de um país é definida por muitas coisas; Incluindo linguagem, música, arte e culinária. Há um termo chamado "genius loci" que traduz para o espírito de um lugar. É o que torna uma cultura distinta da outra. O mais visual

Desses componentes culturais é a arquitetura de um país, e é bastante variada e distinta. De um arranha-céus em Nova York .. para um castelo na Inglaterra ... para um templo japonês ...

Ou a arquitetura do Cabo holandês na África do Sul, todos têm um espírito único, diferente de todos os outros. Isso também é verdade para a arquitetura vernácula africana.

As casas de colmeias na Suazilândia são tão diferentes quanto casas construídas na Etiópia chamado tukul pelo povo Gurage. Um celeiro construído em Malawi é completamente diferente de um celeiro em embora a função é a mesma. A arquitetura vernácula é composta de materiais locais e derivada de costumes e técnicas locais que foram transmitidas de geração em geração.

Mas a arquitetura vernacular na maioria (se não todos) os países africanos está desaparecendo, sendo abandonada para materiais e técnicas ocidentais.

No entanto, mesmo que este seja um componente importante da cultura, há muito pouca informação disponível on-line.

Há muitas razões pelas quais isso está ocorrendo, mas a principal razão é o maior mito da arquitetura vernacular: as percepções negativas ligadas ao termo.

Enquanto os materiais e as técnicas ocidentais são vistos como modernos, permanentes, e para os ricos, o vernáculo é visto como substandard, outdated, provisório, ou para os pobres.

Estes pontos de vista não são apenas os das sociedades ocidentais, mas sobretudo as crenças das pessoas na África, especialmente no nível da aldeia.

A arquitetura vernácula da África é muito diversa. As pessoas constroem com que materiais estão disponíveis localmente, e isso varia de acordo com a área de África que é.

Os materiais vêm de o que a terra fornece. Lama, thatch, madeira, bambu, pedras dos juncos e rochas. Estes são utilizados em diferentes métodos devido a normas culturais.




-
Jon Sojkowski é um arquiteto com uma paixão pela arquitetura vernacular africana. O interesse começou quando ele era um voluntário do Peace Corps, vivendo em uma cabana de barro na Zâmbia.

Ele forneceu a oportunidade de documentar a arquitetura vernacular em todo o país. Em 2014 criou uma campanha Indie GoGo para conduzir pesquisas semelhantes em Malawi. Além de seu banco de dados da arquitetura vernacular africana, sua pesquisa pode ser vista em seus sites  arquitetura vernacular em Zâmbia, arquitetura vernacular em Malawi , arquitetura vernacular em Suazilândia.

Jon vive em Beaufort, Carolina do Sul e está à procura de oportunidades para a realização de mais documentações na África. Ele pode ser contatado em africanvernaculararchitecture@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário