Google+ Followers

sábado, 11 de março de 2017

Origin of the legend of the Boto, personage of the Brazilian folklore, Amazonian folklore, popular culture. --- Origem da lenda do Boto, personagem do folclore brasileiro, folclore amazônico, cultura popular.

Even today it is very popular in the region and is part of Amazonian and Brazilian folklore.


According to legend, a pink boto leaves the Amazonian rivers on June night. With a special power, he manages to turn into a beautiful, tall, strong young man dressed in white social clothing. He wears a white hat to cover his face and disguise his big nose. Go to parties and night dances in search of beautiful young women. With her flirtatious and talkative manner, the boto approaches the unaccompanied youth, seducing them. Soon after, it manages to convince the women for a walk in the bottom of the river, place where it is used to impregnate them. The next morning it turns into the boto again.


The pink boto is considered a friend of the fishermen of the Amazon region. According to legend, he helps fishermen during fishing, in addition to safely driving canoes during storms. The boto also helps save drowning people from the river.

Popular culture:

It is believed that on the nights of the full moon, close to the celebration of the June festival, the pink boto leaves the Amazon River, becomes half man and remains in the condition of boto in the other half of the body.

Scientific name: Inia geoffrensis
Classification: Species
Top rating: Inia
Found in Brazil, in: Tocantins River, Araguaia River, Orinoco River, Amazon River



Very attractive and with a good physical size, the boto leaves by the communities near the river, enchants and seduces the most beautiful girl. The handsome boy always wears a hat, takes the girls to the river bank and gets them pregnant. When she becomes pregnant, the boy becomes a pink button again and the girl returns to her pregnant community.

Because of this fact, people living in communities close to the rivers where pink dolphins live eat it believing they will be bewitched for the rest of their lives. It is also believed that some people who eat boto meat go crazy.

In popular culture, the legend of Boto was used to justify the occurrence of an out-of-wedlock pregnancy.


- Even today, especially in the Amazon region, it is usually said that a child is the daughter of the boto, when one does not know who the father is.

Blue-footed booby, red snapper, pink boto, tabby, boto-branco, boto, costa-cuadrada, buckethead or uiara are common names given to 3 species of river dolphins of the genus Inia .








Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.






--br
Origem da lenda do Boto, personagem do folclore brasileiro, folclore amazônico, cultura popular.

Ainda hoje é muito popular na região e faz parte do folclore amazônico e brasileiro.

De acordo com a lenda, um boto cor-de-rosa sai dos rios amazônicos nas noites de festa junina. Com um poder especial, consegue se transformar num lindo, alto e forte jovem vestido com roupa social branca. Ele usa um chapéu branco para encobrir o rosto e disfarçar o nariz grande. Vai a festas e bailes noturnos em busca de jovens mulheres bonitas. Com seu jeito galanteador e falante, o boto aproxima-se das jovens desacompanhadas, seduzindo-as. Logo após, consegue convencer as mulheres para um passeio no fundo do rio, local onde costuma engravidá-las. Na manhã seguinte volta a se transformar no boto. 

O boto cor-de-rosa é considerado amigo dos pescadores da região amazônica. De acordo com a lenda, ele ajuda os pescadores durante a pesca, além de conduzir em segurança as canoas durante tempestades. O boto também ajuda a salvar pessoas que estão se afogando, tirando-as do rio.

Cultura popular:

Acredita-se que nas noites de lua cheia, próximas da comemoração da festa junina, o boto cor-de-rosa sai do Rio Amazonas, transforma-se em metade homem e continua em condição de boto na outra metade do corpo.

Muito atraente e com um belo porte físico, o boto sai pelas comunidades próximas ao rio, encanta e seduz a moça mais bonita. O belo rapaz usa sempre um chapéu, leva as moças até a margem do rio e as engravida. Ao engravidá-las, o rapaz volta a ser um boto cor-de-rosa e a moça volta a sua comunidade grávida.

Por esse fato, as pessoas que vivem em comunidades próximas aos rios onde habitam os botos cor-de-rosa o comem acreditando que ficarão enfeitiçadas por ele pelo resto da vida. Acredita-se também que algumas pessoas que comem a carne do boto ficam loucas. 

- Na cultura popular, a lenda do boto era usada para justificar a ocorrência de uma gravidez fora do casamento.

- Ainda nos dias atuais, principalmente na região amazônica, costuma-se dizer que uma criança é filha do boto, quando não se sabe quem é o pai.

Boto-cor-de-rosa, boto-vermelho, boto-rosa, boto-malhado, boto-branco, boto, costa-quadrada, cabeça-de-balde ou uiara são nomes comuns dados a 3 espécies de golfinhos fluviais do gênero Inia.

Nome científico: Inia geoffrensis
Classificação: Espécie
Classificação superior: Inia

Encontrado no Brasil, em: Rio Tocantins, Rio Araguaia, Rio Orinoco, Rio Amazonas







Nenhum comentário:

Postar um comentário